Ex-PM Batman irá para penitenciária onde Beira-Mar ficou preso

Ex-PM é acusado de comandar uma milícia da Zona Oeste



ExSorridente e aparentando bom humor, um dos homens mais procurados do Rio, o ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, Batman, preso na noite de quarta-feira (13) na casa dele, em Paciência, na Zona Oeste do Rio, foi apresentado nesta quinta (14).

Ele será levado para o presídio de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná, mesma penitenciária onde o traficante Fernando Beira-Mar esteve preso, que cumpre sentença, atualmente, no Presídio Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (MS).

Segundo a polícia, ele é acusado de chefiar uma quadrilha de milicianos que atua na Zona Oeste. Ele seria um dos líderes do grupo conhecido como Liga da Justiça, que atua principalmente no bairro de Campo Grande.

Armas e carregadores foram apreendidos na casa do ex-PM Batman Batman presta depoimento na sede da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core). O secretário de Segurança José Mariano Beltrame espera que ele explique como conseguir fugir do presídio de segurança máxima Bangu 8 há cerca de 8 meses pela porta da frente acompanhado de dois homens.

De acordo com a polícia, no momento da prisão, por volta das 20h30, ele estava acompanhado da mulher e da empregada, na casa em Paciência, na Zona Oeste. Uma equipe de 20 agentes ficou de plantão por 48 horas no local. Quando tiveram a certeza de que ele estava na casa, acionaram um helicóptero que ficou com o holofote em cima da casa. A mulher ouviu o barulho, abriu o portão e viu a movimentação dos policiais que cercavam a casa. Ela avisou que Batman iria se render.

Ele saiu com as mãos na cabeça, e de acordo com o chefe da Polícia Civil Alan Turnovski, ele elogiou e agradeceu estar sendo preso por agentes da Core. Batman foi levado de helicóptero para a sede da Core, e uma outra equipe de 20 policiais foi vasculhar o local.

Foragido, Batman aparece na internet dando entrevista Disque-Denúncia aumenta recompensa para prender Batman Imagens mostram fuga de Batman pela porta da frente de presídio Principais homens da confiança de Batman são presos, diz polícia

--------------------------------------------------------------------------------

"Depois da fuga, ele se manteve o tempo todo por perto. Como tem de se impor pela violência nesta atividade, ele tem de estar sempre presentes, tem de matar de cara limpa para mostrar a sua força, passar o medo", disse o chefe de Polícia Civil

Foram recolhidos documentos, além de dois fuzis, duas pistolas, quatro granadas, 22 carregadores e 12 celulares, que estavam em um compartimento debaixo do armário do quarto. Os policiais também encontraram uma camisa do time Valencia, da Espanha, com um pequeno símbolo do Batman gravado.

"A prisão do Batmam é apenas o começo de uma grande operação contra as milícias. Tivemos outras oportunidades para prendê-lo, mas decidimos esperar o melhor momento para não colocar a população em risco. Com esse armamento que ele tinha em casa, com certeza estava preparado para uma guerra", disse Turnovski.

O secretário Beltrame, disse que a prisão do ex-PM tem uma grande significância, principalmente por se tratar que uma quebra na cadeia de um forte grupo paramilitar na Zona Oeste.

A Central Disque-Denúncia, que ofereceu recompensa de R$ 10 mil por informações que levassem a sua captura, recebeu mais de 230 denúncias de que Batman e seu companheiro, Aldemar Almeida dos Santos, o Robin, morto em abril de 2005 durante um confronto com a polícia, fariam parte de um grupo de extermínio.

Ex-policial militar, Ricardo Batman foi expulso da PM em 1992, quando fazia parte do Batalhão de Choque (BPChoque). A milícia, da qual é acusado de chefiar em Campo Grande, exploraria serviços clandestinos de segurança, transporte alternativo, distribuição de gás e venda de sinal de TV a cabo.

Prisões em março

No dia 16 de março deste ano, dois homens que eram apontados como milicianos pela polícia foram presos no Grajaú, na Zona Norte. Segundo policiais, os dois seriam os principais homens da confiança do ex-PM.

Um mês antes, Batman divulgou quatro gravações com entrevistas suas numa página na internet. No vídeo, ele negou envolvimento com assassinatos e com planos para matar delegados, mas reconheceu que faz parte da milícia que atua na região.

Guerra entre milícias

De acordo com a polícia, Batman estaria envolvido numa guerra entre grupos de milicianos desde agosto de 2007, quando o sargento Francisco César Silva Oliveira, o Chico Bala, do 25º BPM (Cabo Frio), e sua família foram vítimas de um atentado, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos.

Na época, um policial civil, um militar e dois ex-PMs foram presos, entre eles Ricardo Batman e o policial civil André Luiz da Silva Malvar. Todos negaram o crime.

Fonte: AE