Rafael Ilha é preso novamente em SP

Polícia Militar diz que ele acompanhava grupo que usava crack na zona sul da capital paulista

 O ex-polegar Rafael Ilha foi levado na tarde desta segunda-feira (26), por volta das 14h50, para o 27º Distrito Policial no Campo Belo (zona zul). Ele foi flagrado pela Polícia Militar na avenida Roberto Marinho, perto da rua Barão de Jaceguai, com outras três pessoas que estavam usando drogas, segundo a assessoria de imprensa da PM.

De acordo com a mesma assessoria, as três pessoas que o acompanhavam fumavam crack. Às 16h20, o 27º DP informou que ele seria liberado. Na última sexta-feira (26), o médico particular e psiquiatra de Rafael Ilha, Aloísio Priuli, afirmou ao R7 que o ex-polegar não usava mais drogas e que se internaria na clínica ?New Life? (nova vida, em português), em Embu Guaçu, na Grande São Paulo, para tratar da depressão. A clínica também cuida de dependentes químicos, disse Priuli.

Ilha foi socorrido no hospital Municipal do Campo Limpo na noite da última terça-feira (20) após fazer um corte no próprio pescoço com um caco de vidro. Um funcionário da clínica de recuperação para dependentes químicos de Rafael Ilha disse que ele foi até a casa da avó, na avenida Giovanni Gronchi, na região do Brooklin, zona sul de São Paulo, por volta das 14h, para assinar documentos. Segundo o médico, Rafael só teve o impulso de cortar o pescoço porque deixou de tomar os remédios para a doença poucos dias antes do incidente.

Priuli afirmou ao R7 que a depressão de Rafael está associada a um quadro de transtorno bipolar, distúrbio neurológico que causa alterações bruscas de humor e pode deixar a ?pessoa mais agresssiva, com sentimento de estar sendo perseguida? e até fazer com que ela pense em suicídio.

Ele ficou conhecido por fazer parte do Grupo Polegar, na década de 1980. Ele foi preso em setembro de 1998 quando tentava roubar um vale-transporte e R$ 1 de uma balconista. Dois anos depois, ele foi detido com dois papelotes de cocaína. Em setembro de 2007, o cantor voltou aos holofotes depois de tentar forçar um ex-interno a voltar a se tratar na clínica de recuperação dele para dependentes.

Fonte: R7, www.r7.com