Ex-policial que matou sua ex é condenado a 21 anos

Foi morta no dia 24 de fevereiro de 2008, aos 24 anos, com um tiro no rosto

Um ex-investigador da Polícia Civil foi condenado na noite de quarta-feira a 21 anos de prisão pelo assassinato de sua ex-namorada, ocorrido em 2008 em Campinas, a 98 km de São Paulo. Rodrigo Guersoni Brasil, 29 anos, foi sentenciado por volta das 22h45, após mais de 13 horas de julgamento. Ainda cabe recurso.

A ex-namorada de Brasil, a advogada Daniela de Araújo Lima Carvalho, foi morta no dia 24 de fevereiro de 2008, aos 24 anos, com um tiro no rosto. Ela chegou a ser socorrida ao pronto-socorro do Hospital Municipal Mario Gatti, mas não resistiu aos ferimentos. O projétil atravessou a face da vítima e atingiu o braço de sua amiga, a professora Priscila Garcia. Elas estavam dentro do carro estacionado em frente à casa dos pais, no distrito de Joaquim Egidio, onde Daniela morava com o filho de um ano de idade que teve com o ex-investigador.

Segundo o processo criminal, Brasil não se conformava com o fim do relacionamento e insistia em uma reaproximação. No dia do crime, Brasil esperou a chegada da advogada e a conversa se transformou em uma discussão. Depois de efetuar o disparo contra a ex-companheira, Brasil fugiu. Dias depois, se entregou à policia.

Durante o julgamento, Brasil disse não se lembrar dos fatos. O advogado de defesa, Tarcisio Germano de Lemos, comentou que irá recorrer da decisão. O promotor de acusação, Ricardo Silvaris, informou que o ex-investigador deve cumprir dois quintos da pena em regime fechado, outros dois quintos em regime semiaberto e o restante em regime aberto. Brasil deve continuar recluso no presídio da Polícia Civil, em São Paulo, onde estava detido enquanto aguardava o julgamento.

Fonte: Terra, www.terra.com.br