Execução: Três pessoas são presas suspeitas do assassinato do primo do ex-goleiro Bruno

Execução: Três pessoas são presas suspeitas do assassinato do primo do ex-goleiro Bruno

Os delegados que cuidam do caso não quiseram antecipar informações.

Três suspeitos de terem participado do assassinato de Sérgio Rosa Sales, 24, primo do ex-goleiro Bruno Souza, foram presos nesta sexta-feira em operação da PM de Minas Gerais, que deteve mais quatro pessoas, todas suspeitas de tráfico de drogas, no bairro Primeiro de Maio, Região Norte de Belo Horizonte.

Seis pessoas ligadas a Sérgio ? a namorada e mais cinco parentes dele e de Bruno ? depuseram até o fim da noite no Departamento de Homicídios e saíram sem dar declarações.

Os delegados que cuidam do caso também não quiseram antecipar informações. Até o fim da noite, os três suspeitos presos eram esperados na delegacia para depôr.

Deprimida, a avó de Bruno e Sérgio, Estela Santana Trigueiro de Souza, de 80 anos, disse ontem que os dois eram como irmãos.

?Eu criei o Bruno e conheço muito bem, era mais que irmão do Serginho, era como se fosse o pai dele. O Serginho sempre me pedia a bênção quando saía de casa, mas nesse dia, não pediu, saiu direto. Quando eu soube o que tinha acontecido com meu neto, desmaiei?, contou.

A avó do goleiro disse que já estava sofrendo muito com a prisão de Bruno, e que agora sua dor só aumenta. Ela acrescentou que está ansiosa para que alguém da família vá visitá-lo no domingo na cadeia.

?Quero saber como ele está após a morte do Sérgio. Ele também deve estar sofrendo muito?, disse.

O irmão de Bruno, o motorista Vitor Souza, 38, disse que a mãe de Sérgio, Ângela, visitava o goleiro na cadeia e que a família tinha ótimas relações com ele. Para Vitor, é impossível que o irmão tenha envolvimento no crime. ?O Bruno hoje é evangélico e não vê a hora de deixar a prisão?, relatou.

Estela, a avó do goleiro, acredita que ele está sofrendo mais do que todos da família, já que além da dor natural da morte do parente, ele ainda está sendo associado ao crime: ?Tenho certeza que ele não tem nada a ver com isso. Não vejo a hora dele voltar para a casa e a gente ter paz?.

Ela disse que Sérgio, que morava perto da casa dela, passava e brincava sempre com ela. ?A única coisa que me dá forças agora é Deus, para enfrentar toda esta situação de sofrimento?, acrescentou.

A avó de Bruno disse também que não tem mais vontade de sair de casa. ?Meu coração está muito magoado?, disse Estela na casa onde mora, cheia de pôsteres do goleiro. O imóvel foi comprado para ela por Bruno há cinco anos.

Fonte: O Dia Online