Fábio Abreu quer dobrar o número de policiais da Força Nacional

O secretário de segurança divulgou uma das suas ações.

O secretário de Segurança, deputado federal Fábio Abreu, confirmou que foi solicitado ao Ministério da Justiça dobrar o número de policiais da Força Nacional no Piauí. Esta é uma das ações alternativas para garantir assistência à população durante movimento da Polícia Militar. Além disso, o Exército também poderá ser acionado.

“Mas, o exército somente em último caso. Por enquanto, em entendimento com o Governador Wellington Dias, já enviamos pedido de mais policiais da FN à Secretaria Nacional de Segurança Pública. A reivindicação dos policiais é justa, mas o próprio governador informou que não tem como onerar a folha de pagamento agora. No entanto, continuo acreditando no diálogo”, explicou.

Sobre homicídios no último final de semana Abreu confirmou que houve aumento atípico, embora os dois últimos meses do ano sejam historicamente mais complicados. No entanto, descartou a falta de policiamento e criticou boatos espalhados nas redes sociais.

Image title

“Somente na capital haviam 22 viaturas rodando o que consideramos suficiente. Lamentavelmente há informações falsas sendo divulgadas nas redes sociais com propósito de espalhar o pânico na sociedade. Nosso compromisso é não deixar de dar as respostas que o piauiense precisa. Por outro lado, vamos enviar policiais da Força Nacional para Parnaíba para dar mais tranquilidade ao município”, afirmando ainda que cerca de 300 PMs que estão à disposição de outros órgãos foram convocados para reforçar o efetivo nas ruas no fim de ano.

Falando sobre a morte do taxista o secretário confirmou a prisão de um menor e a identificação de um dos acusados pelo crime. Disse ainda que não pode concordar com a intenção da categoria em fazer justiça com as próprias mãos.

“Se temos leis elas devem ser cumpridas. A morte do taxista está sendo investigada e os autores identificados. Agora, não está na Lei que alguém pode fazer justiça com as próprias mãos. Isso não terá nosso apoio", finalizou.

Fonte: ASCOM