Falha permite venda de celulares em presídio do PI

Falha permite venda de celulares em presídio do PI

A situação comprova que há falha na fiscalização é também estrutural.

Um dos cinco detentos que fugiram da Casa de Custódia na última quarta-feira, 2, foi preso nos últimos dias pela Polícia Militar. Ele, identificado por Lindomar, é paulista e pertencia ao Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo.

O fugitivo capturado aproveitou uma falha no teto de tijolo e fugiu com os seus comparsas pela parte superior do presídio. Os demais continuam foragidos. Em 2014 foram 9 fugas somente na Casa de Custódia.

?Os presos descobriram essa facilidade para as fugas. Nós já levamos ao conhecimento da secretária e ela já determinou ao Departamento de Engenharia que fizesse um levantamento de custos para que a gente imediatamente se faça um muro de contenção nessa parte superior que está sendo violada e facilitando essa fuga?, disse o diretor de presídios Wellington Rodrigues.

Outro presídio que não anda bem é a penitenciária Irmão Guido. Lá, há superlotação com 600 presos atualmente. Todos os dias há quem jogue celulares de fora para dentro. De posse do aparelho, eles comercializam ligações para fora a um custo de R$ 10,00, ou fazem vendas que chegam a R$ 150,00 cada aparelho.

A situação comprova que há falha na fiscalização é também estrutural. ?Nós trouxemos o problema à secretária e ela prontamente levou ao documento do estado e, a partir de segunda-feira, será iniciado um telamento de toda a Irmão Guido. Depois, cabe a nós apenas a preocupação com a parte interna do presídio.?

Vilobaldo Carvalho, do Sinpoljuspi, o caso é ainda mais complicado em razão da falta de telas. ?Em uma vistoria feita recentemente na Irmão Guido foram recolhidos 72 celulares nos pavilhões. A falta de telamento é uma falha gravíssima, mas a inserção dessas telas não vai resolver o problema da segurança. Falta equipamentos de segurança, mão de obra, monitoramento, entre outros.?

Fonte: Denison Duarte