Falsa grávida alega problemas mentais para não ser presa

Falsa grávida alega problemas mentais para não ser presa

Segundo a educadora, o marido não sabia de nada.

A educadora Maria Verônica Vieira, de 25 anos, que forjou uma gravidez de quadrigêmeas, se apresentou à polícia na manhã desta sexta-feira (27) em Taubaté, no interior de São Paulo. Em depoimento no 2º Distrito Policial do município, no bairro da Estiva, a mulher alegou que forjou a gestação porque está com problemas psicológicos e porque seu sonho era ter uma filha.

Segundo a educadora, o marido não sabia de nada. Ela disse que, para evitar que ele soubesse da farsa, evitava contato físico. A mulher também alegou que a gravidez foi usada para uma reaproximação da família.

De acordo com a polícia, Maria Verônica se comprometeu a devolver todas as doações recebidas. O marido dela deve depor na segunda-feira (30).

Gravidez

A mulher chamou a atenção da cidade ao aparecer com uma enorme barriga e dizer que estava grávida de quadrigêmeos. Todos os familiares ficaram felizes com a chegada das quatro meninas, as Marias, que já tinham até enxoval. O parto, segundo Verônica, estava previsto para acontecer na segunda quinzena de janeiro.

A polícia começou a investigar o caso após declarações de um médico que atendeu a mulher no segundo semestre de 2011 e afirmou que, na ocasião, ela não estava grávida.

O advogado da educadora assumiu a farsa na madrugada do dia 20 de janeiro. Segundo Enilson de Castro, sua cliente usava "uma barriga de silicone" com enchimentos. Ele afirmou que a mulher não desmentiu a gravidez antes por causa da grande repercussão que o caso tomou.

Fonte: G1