Falsa médica "esquece" CRM e é presa após usar dois nomes em hospital

Falsa médica "esquece" CRM e é presa após usar dois nomes em hospital

Para os advogados de defesa, houve apenas um mal-entendido

Uma mulher foi detida no Hospital do Andaraí, na Zona Norte do Rio, suspeita de usar um registro médico de outra pessoa. A médica é uma venezuelana que não tem autorização para exercer a profissão no Brasil.

Veja o site do Bom Dia Rio

A detenção ocorreu na noite de quinta-feira (28). A suposta médica chegou ao hospital numa ambulância, como responsável por um paciente, que seria internado para a colocação de um marcapasso. Mas funcionários do hospital que fizeram a denúncia contaram que desconfiaram da postura da mulher.

Chamada a se identificar, ela disse que não havia decorado o número do registro no Conselho Regional de Medicina. Em seguida, se identificou como Laura, mas carimbou as fichas de um paciente usando o registro de uma médica chamada Roberta e acabou sendo desmacarada.

Para os advogados de defesa, houve apenas um mal-entendido. A mulher, identificada como a venezuelana Laura Constanza Torrente Gonzalez, de 30 anos - que tem uma identidade brasileira provisória ? é médica, mas não teria autorização para exercer a profissão no Brasil.

Ela está no país para um período de estudos e faz pós-graduação na Santa Casa de Misericórdia. A estrangeira estaria acompanhando uma ambulância, como uma espécie de estágio.

A verdadeira dona do registro profissional, a médica Roberta, contou na delegacia que deveria estar no lugar da venezuelana, de plantão com a equipe da ambulância. Mas passou mal na hora de levar o paciente para o hospital.

O Ministério da Saúde, que gerencia o funcionamento do Hospital do Andaraí, disse que vai instaurar uma sindicância para apurar o caso.

A venezuelana foi indiciada por falsidade ideológica e exercício ilegal da profissão, na 18ª DP (Praça da Bandeira). Ela foi liberada após prestar depoimento.

Fonte: g1, www.g1.com.br