Falso Neymar que extorquiu jovem deve ser interrogado

Ele exigiu R$ 50 mil de jovem catarinense para não vazar fotos dela nua.

O "falso Neymar", homem suspeito de se passar pelo jogador da seleção para extorquir uma jovem catarinense, chegou a Florianópolis na madrugada desta sexta-feira (30), por volta das 4h. Ele foi preso na quarta-feira (28), no bairro de Vila Mury, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, por se passar pelo jogador em conversas na internet e pedir R$ 50 mil para não vazar fotos íntimas da advogada de 23 anos.


Falso Neymar que extorquiu jovem deve ser interrogado

De acordo com o delegado Renato Hendges, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santa Catarina, Higor Martins Lizardo, de 28 anos, se passava pelo jogador e dizia à vítima que não podia mostrar sua verdadeira identidade na web por ser uma pessoa pública.

Ao longo do tempo, a recém-formada em Direito enviou fotos íntimas a Higor, que começou a ameaçá-la. O criminoso dizia que se a jovem não enviasse mais fotos, ele espalharia as imagens na rede. "Ele tinha acesso a todas as intimidades dela e ameaçava divulgar para os pais da jovem, na rede da universidade em que ela estuda, a família e funcionários. Então ele mandava ela fazer tudo que pedia e ela tinha que obedecer", explica o delegado.


Falso Neymar que extorquiu jovem deve ser interrogado

As ameaças foram feitas por MSN, skype e telefone e as mensagens foram encontradas nos arquivos no computador de Higor, apreendido por policiais pela 93ª DP de Volta Redonda e pela equipe de policiais da Deic.

Em um depoimento inicial, ele confessou que se passava pelo jogador Neymar, mas negou o crime de extorsão. Ele também conseguiu as senhas da vítima para o login no Facebook e no MSN e se passou por ela diversas vezes. De acordo com o delegado, em Florianópolis, já nesta sexta (30) Higor vai prestar depoimento sobre o caso. "Posteriormente, nós temos duas alternativas. Ou pedimos a prisão preventiva dele ou o liberamos, se entendermos que ele não representa mais riscos", afirma o delegado.

Fonte: G1