Familia de estudante assassinado neste final de semana clama por Justiça

O acusado de matar o estudante também foi atingido e se encontra internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Os familiares do estudante Marcos dos Santos, 17, assassinado neste final de semana com um tiro nas costas pedem que justiça seja feita. O jovem estudante foi morto quando estava em uma festa na região da Tabuleta, em Teresina.

O acusado de matar o estudante também foi atingido e se encontra internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

De acordo com o irmão, conhecido como Alex, o jovem estudante não tinha envolvimento com drogas e nem fazia parte de gangues. Alex fala emocionado: “Ele estava estudando e não tinha envolvimento com nada, ajudava a família e olhava os meus outros irmãos pequenos. Nós éramos oito irmãos e hoje somos apenas sete. Não tenho palavras, só Deus para confortar nossos corações. Nós pedimos a Deus e à Justiça para que coloque esse rapaz que matou meu irmão na cadeia. Eu creio que a Justiça vai agir e vai colocar esse rapaz na cadeia, nós estamos sofrendo muito.


Os familiares foram informados apenas que o jovem estava em uma festa e que o mesmo tentou se esconder durante um tiroteio. “Até onde eu sei, meu irmão estava numa festa e houve um tiroteio e o meu irmão foi tentar se esconder e o tiro pegou ele pelas costas e o tiro alcançou o coração dele..

No Hospital de Urgência de Teresina, a família foi informada que a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) demorou a chegar. “Os policiais disseram que o atendimento do Samu demorou a chegar, ele foi levado pelos seguranças do local onde ele estava. Quando ele chegou lá ainda estava com vida, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.”

O pai de Marcos dos Santos, Agnaldo, é pedreiro, mora no residencial Tenho Fé, no Planalto Esplanada. Ele fala do seu sofrimento com a perda do filho. Ele pede justiça com a prisão do acusado.

“Não é fácil. A quem tem filho este é um momento difícil. O meu filho era estudante e só vinha do colégio para casa. Inventaram que ele era de gangue, mas não era nada disso. Ele era um rapaz direito, todo mundo sabia que ele não tinha passagem pela polícia. Ele me ajudava nos serviços de construção.”

Eu não sei o que houve, só sei que ele foi atingido. No tiroteio, o acusado foi também. Eu queria que o delegado bareta resolvesse essa situação e coloque esse homem na cadeia. Ele foi assassinado no começo da madrugada deste domingo, na região da Tabuleta, em Teresina.


Fonte: Denison Duarte