Família de goiano morto na Irlanda não tem dinheiro para translado

Rapaz de 28 anos era natural de Anápolis e apresentava sinais de violência.

A família do brasileiro encontrado morto, no domingo (11), em um pântano do condado de Kerry, na Irlanda, deve se reunir com secretário de Assuntos Internacionais de Goiás, Elie Chidiac, na quarta-feira (14). Bruno Lemes de Sousa tinha, de 28 anos, era natural de Anápolis, cidade localizada a 55 quilômetros de Goiânia. Segundo familiares, o corpo apresentava sinais de espancamento e esfaqueamento. O primo de Bruno, o empresário Marcos Paulo Sousa de Oliveira, afirma que a família não tem condições de pagar o traslado.

O empresário informou ao G1 que o corpo já foi liberado pela polícia da Irlanda. ?Cada um fala uma coisa sobre como o corpo pode vir para o Brasil. Então, a gente ainda não sabe como proceder. O corpo já foi liberado pela polícia de lá, só falta a resolução aqui. O que sei é que precisamos de ajuda para trazê-lo, pois o traslado é muito caro e não temos condições de pagar?, afirma.

Segundo o primo de Bruno, as informações são repassadas à família por amigos e pela namorada da vítima, uma brasileira que mora na Irlanda. De acordo com empresário, a dupla apontada como responsável pela morte do primo está presa. Bruno teria sido visto pela última vez entrando no carro com os suspeitos, em fevereiro.

Bruno Lemos foi para a Irlanda em 2005 na companhia do primo, que voltou para o Brasil um ano depois. Atualmente, segundo as informações recebidas pela família, o rapaz trabalhava com venda de automóveis. ?A última pessoa que o viu foi um senhor, cliente dele. Ele foi entregar o carro para esse homem, que o viu entrando no carro e indo embora com os suspeitos?, conta Marcos Paulo.

Fonte: G1