Família não consegue liberação do corpo de detento assassinado

Jovem natural do Tocantins foi morto durante banho de sol.

O corpo de Odair da Silva Amorim, de 20 anos, que morreu após dias internado por causa de um espancamento que sofreu dentro da Casa de Custódia de Teresina, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). Familiares da vítima, no entanto, não conseguiram liberação do corpo e revindicam maiores informações do IML e da Justiça que, segundo eles, não avisaram sequer que o jovem estava internado. 

"Não liberaram por causa da identidade original e, como ele era drogado, perdeu a identidade. A mãe veio reconhecer, o padrasto veio eu e a avó também, mas não liberaram o corpo. Ele[ Odair] eu entrada no HUT e ninguém sabia de nada, não ninguém estava acompanhado aqui e não veio nada do Hospital", afirmou.

 Odair da Silva Amorim
Odair da Silva Amorim

Em nota, a Casa de Custódia informou que os envolvidos no crime foram isolados e estão sendo investigados. Ainda segundo a nota, uma equipe da Assistência Social da Secretaria de Justiça entrará em contato com a família. 

De acordo com informações do vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), Cleiton Holanda, o jovem foi espancado durante banho de sol no Pavilhão H e, devido à gravidade dos ferimentos, foi encaminhado para o HUT, onde permaneceu sob cuidados médicos, não resistiu e morreu. 

Natural de Pálmas, no Tocantins, Odair chegou a ser preso em Teresina, acusado de praticar roubo. Ainda segundo o vice-presidente do sindicato, esta já é a oitava morte  violenta no sistema prisional do estado. 

 Instituto Médico Legal (IML)
Instituto Médico Legal (IML)





Fonte: Portal Meio Norte