Família quer saber onde está irmã de Belfort, após prisão de acusado

Família quer saber onde está irmã de Belfort, após prisão de acusado

Segundo a polícia, jovem foi sequestrada e esquartejada por traficantes da Providência

A prisão do traficante Leandro Ferreira Fernandes, o Periquito, renovou as esperanças da família de Vitor Belfort, que há nove anos busca informações sobre o paradeiro da irmã do lutador. Ela foi vista pela última vez no centro do Rio quando saía do trabalho para almoçar.

A polícia trabalha com a hipótese de Priscila ter sido sequestrada e esquartejada por traficantes do morro da Providência, no centro. Periquito, que já havia sido preso pelo desaparecimento da jovem em 2006, faz parte do bando que dominava a favela ? hoje ocupada por uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). O namorado da vítima estaria em dívida com os criminosos por causa do consumo de drogas. Apesar disso, a mãe de Priscila, Jovita Belfort, sonha em encontrar a filha viva.

? Quando chove eu fico pensando: será que ela está na rua? Onde ela está? Está com frio? É muito, muito, doloroso. Alguém sabe o que aconteceu com ela. Então, essa pessoa há nove anos me deve isso [informação], entendeu? Eu vou ficar procurando ela o resto da minha vida.

Na época do sumiço, a família alegou que Priscila poderia ter sofrido um problema de memória ou ter sido vítima de um sequestro-relâmpago. Em 2007, uma mulher confessou que fazia parte da quadrilha que sequestrou, estuprou, matou, esquartejou e queimou o corpo da jovem.

Periquito executava inimigos com requintes de crueldade

Ela contou que a ordem para matar Priscila teria partido do presídio de Bangu 1, zona oeste, e que os restos mortais da vítima estariam enterrados em um sítio em São Gonçalo, na região metropolitana.

Segundo a polícia, Periquito faz parte da quadrilha denunciada pela mulher. O traficante foi preso por policiais civis da Delegacia do Engenho Novo (25ª DP) no último dia 18 de março. Ele trabalhava como manobrista de um posto de combustíveis no centro do Rio.

O delegado Bruno Gilaberte, da 25ª DP, diz que Periquito e o seus comparsas eliminavam seus desafetos com requintes de crueldade.

? Periquito é investigado pela DAS (Delegacia Antissequestro) como autor da morte de Priscila. O mandado de prisão que nós cumprimos foi por outro homicídio com as mesmas características, com morte e ocultação de cadáver. Ele é um criminoso violento, um homicida.

Em depoimento à polícia, Periquito informou que os outros sete integrantes da quadrilha estão mortos.

Fonte: r7