Familiares entregam roupas de cunhado para investigação da polícia

Lucas Porto assumiu o crime.

As roupas usadas por Lucas Porto ao estuprar e assassinar Mariana Costa, sua cunhada, na tarde de domingo, 13, foram entregue à polícia na tarde dessa quarta-feira (16).

O empresário que confessou ter abusado sexualmente e asfixiado a publicitária mãe de duas crianças, escondeu as roupas em um apartamento vazio, que pertence ao seu pai, no mesmo condomínio onde ele mora, no bairro da Ponta D'Areia, em São Luís

Segundo o delegado-geral da polícia do Estado, Lawrence Melo, foram os familiares de Porto que entregaram as roupas, evidências do crime, para a polícia. “Parentes deles mesmo entregaram as roupas. Eles sabiam que nós já estávamos atrás e nos ajudaram. Acreditamos que elas [as roupas] foram usadas no dia do crime, mas isso só a perícia vai dizer”, disse o delegado.

Em sua confissão, Lucas Porto declarou ter cometido o crime por nutrir sentimentos não correspondidos por Mariana. Porto é casado com a irmã mais velha da jovem.

“Ele disse que tinha uma atração pessoal muito forte pela senhora Mariana, sua cunhada. Seguindo isso, ele resolveu ir até seu apartamento e lá a encontrou em seu quarto de descanso, sem roupas, e resolveu consumar seu desejo por ela”, explicou o secretário de segurança, delegado Jefferson Portela.

Mariana Costa tinha 33 anos, e sobrinha-neta do ex-presidente da República José Sarney. Mariana deixou duas filhas pequenas e seu esposo, o também empresário Marcos Renato.


Fonte: Imparcial