Fernandinho Beira-Mar está entre os detentos que farão a prova do Enem em janeiro

Atualmente, os presos recebem aulas, oferecidas pelo governo de Mato Grosso do Sul

Mais de 380 detentos de Mato Grosso do Sul estão inscritos para as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que será aplicado nos dias 5 e 6 de janeiro em estabelecimentos penais de todo o país. Entre os detentos do Presídio Federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, que vão passar pelo exame estão o traficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Marcos de França, acusado de participação no assalto ao caixa-forte do Banco Central de Fortaleza em 2005, o maior da história brasileira.Os dois foram condenados a 150 e 21 anos de prisão, respectivamente.

Ao todo, 42 detentos do presídio federal vão participar do Enem. Atualmente, os presos recebem aulas, oferecidas pelo governo de Mato Grosso do Sul, de alfabetização e ensino fundamental. O departamento de reabilitação da penitenciária fez a inscrição do detentos que prestarão o exame, junto ao MEC (Ministério da Educação).

Procurado pelo R7, o Inep, órgão do MEC (Ministério da Educação) responsável pelo Enem, desconhecia a informação e não deu resposta até a publicação desta reportagem.

No dia das provas, o MEC enviará fiscais para acompanhar a aplicação das provas dentro do próprio presídio. Agentes penitenciários federais farão a escolta dos detentos.

Enem nos presídios

Os detentos participantes do Enem farão a prova nos dias 5 e 6 de janeiro, às 13h (horário de Brasília). A prova será aplicada nas unidades prisionais que tenham efetuado a inscrição de seus detentos e que mantenham programas especiais de ensino médio. A aplicação especial foi decidida dentro do sistema logístico de segurança do Enem.

No dia 5 de janeiro, terça-feira, das 13h às 17h30, serão aplicadas nos presídios as provas de ciências da natureza e ciências humanas. No dia 6, quarta-feira, os candidatos terão uma hora a mais para fazer as provas de linguagens, matemática e também de redação. O horário de aplicação será das 13h às 18h30.

Embora as questões sejam diferentes daquelas constantes das provas do Enem regular, o nível de dificuldade da prova será idêntico, graças à utilização da TRI (Teoria de Resposta ao Item), modelagem estatística utilizada em avaliação de habilidades e conhecimentos, utilizada na elaboração da prova do Enem deste ano e de agora em diante.

Em todos os outros detalhes, a prova aplicada aos detentos será idêntica à regular.

Atualmente, o Enem é usado como substituto do vestibular ou como primeira fase por 32 universidades federais. O exame também é aproveitado para compor a nota de processos seletivos de instituições públicas e particulares. Além disso, o Enem poderá dar um certificado de conclusão do ensino médio, pelo sistema EJA (Educação para Jovens e Adultos).

Fonte: R7, www.r7.com