"Foi horripilante", desabafa pai de criança morta a facadas em SP

"Foi horripilante", desabafa pai de criança morta a facadas em SP

Garota e amiga, ambas com 9 anos, foram assassinadas em Sorocaba.

?Foi a cena mais horripilante que eu vi em 65 anos de vida.? O desabafo, com os olhos cheios d? água, é do aposentado Sebastião Gomes Nogueira, pai de Nicole Maíra da Silva Nogueira, de 9 anos, morta a facadas nesta segunda-feira (11) em Sorocaba, a 99 km de São Paulo. Ela foi encontrada caída no chão do quarto da casa de Maiara da Silva, também de 9 anos, que morreu da mesma maneira.

O crime ocorreu no bairro Jardim Betânia, em uma rua de terra e com pouca iluminação. A polícia busca os criminosos que podem ter matado as meninas. Segundo vizinhos, elas eram amigas desde pequenas. O G1 esteve na casa de Nogueira, localizada a cerca de 50 metros da residência onde Maiara e Nicole estavam. ?Reviraram tudo aqui. A polícia disse que eu sou o primeiro suspeito porque fui o segundo a entrar no local?, afirma o aposentado, que nega os assassinatos. ?Eu fazia tudo pela Nicole. Era meu xodó.?

Sem suspeitos

O delegado Acácio Aparecido Leite, da Delegacia de Investigações Gerais da cidade (DIG), negou a suspeita. ?De maneira nenhuma ele é o principal suspeito. Ainda não temos suspeitos?, afirmou na noite de segunda. Segundo a polícia, a faca usada para matar as meninas foi encontrada no terreno baldio que fica em frente à casa de Maiara. Ao lado dela, havia dois preservativos fora da embalagem. Leite contou que peritos vão analisar as camisinhas para ver se há relação com o crime e ressaltou: ?Ali é um local de passagem, que dá para a outra rua. Os preservativos podem ser de outra pessoa?.

De acordo com Leite, as vítimas foram golpeadas nas costas e no pescoço. A costureira Nerci Cuchera da Silva, de 49 anos, mãe de Maiara, não conseguiu ver o corpo da filha. ?Não me deixaram.? Ela estava bastante abalada. Amparada por um dos filhos, contou que comemoraria o aniversário de 10 anos da menina neste sábado (16). Maiara vivia com a mãe na casa onde foi assassinada.

?Até estávamos conversando sobre isso ontem (domingo). Se a gente ia fazer uma festa ou eu a levaria para passear?, afirma Nerci. A mulher diz não ter ideia do que ocorreu. ?Ela era um anjo, calma tranquila?, conta a costureira ao descrever Maiara. A faca usada no crime era dela. "Não tinha sinais de arrombamento na casa. Eu deixei um dinheiro em cima do armário da cozinha e ninguém mexeu."

A costureira prefere o silêncio a levantar a hipótese de que as meninas tenham sido violentadas. ?Visualmente, não havia sinais de violência sexual, mas o DNA delas já foi colhido para análise?, informou o delegado. Maiara e Nicole foram encontradas vestidas. Ao lado delas, havia um colchão cheio de sangue.

Roupas de presente

?A TV estava ligada. A vizinha viu as duas mortas e veio gritando: ?mataram as meninas?. Para mim, foi o fim do mundo?, conta o pai de Nicole. Ele diz que, por volta das 8h, chamou as garotas para tomar café. Como não houve resposta, achou que ainda estivessem dormindo. Quem encontrou as duas foi a irmã de Nerci, que mora ao lado, e toma conta de Maiara enquanto a costureira vai trabalhar de manhã cedo.

Pai de outros cinco filhos, Nogueira diz que mora sozinho e recebia a filha nos fins de semana. Como ela está de férias, passava o dia com Maiara. Na casa dele, no meio do quarto revirado, ainda estavam as roupinhas que diz ter comprado para o aniversário de Nicole, comemorado em 18 de agosto. Eram duas camisetas, um short e um vestido.

Fonte: g1, www.g1.com.br