Funcionários de restaurante onde turista foi assassinado a facadas por R$ 7 serão ouvidos

Funcionários de restaurante onde turista foi assassinado a facadas por R$ 7 serão ouvidos

A polícia ainda espera contar com as imagens das câmeras de monitoramento para auxiliar na investigação do caso.

Os funcionários do restaurante de Guarujá, no litoral de São Paulo, em que um universitário foi assassinado a facadas após discussão pelo valor da conta na última segunda-feira (31), serão ouvidos na tarde desta sexta-feira (4) na delegacia sede da Cidade. Segundo testemunhas, alguns garçons também teriam participado da agressão contra a vítima.

O advogado do dono do restaurante, Valdemir Batista Santana, esteve na delegacia sede de Guarujá nesta quinta-feira (3) e agendou os depoimentos dos funcionários do restaurante. Alguns deles já foram ouvidos, mas os que faltam são considerados fundamentais porque viram tudo o que aconteceu dentro da churrascaria. A polícia ainda espera contar com as imagens das câmeras de monitoramento para auxiliar na investigação do caso mas, segundo o advogado dos suspeitos, essas imagens não existem.



O dono da churrascaria, José Adão Pereira dos Passos, de 55 anos, suspeito de matar o universitário, e Diego Souza Passos, de 23 anos, o filho dele, se apresentaram a polícia na noite desta quarta-feira (2) e foram liberados em seguida. Eles não foram presos porque vieram 24 horas depois do crime, portanto, não houve flagrante.

O delegado Luiz Carlos Lara disse que por enquanto não vai pedir a prisão deles. ?Os requisitos da custódia estão ausentes nesse momento. Agora, se daqui por diante surgirem esses requisitos ou, na conclusão, eles ficarem latentes, ai sim será o caso de representarmos ou pela temporária, antes da conclusão do inquérito, ou mesmo pela preventiva, quando o seu término?, falou. Ele ainda disse que as supostas imagens registradas pelas câmeras de monitoramento da churrascaria seriam importantíssimas para solucionar o caso.

Fonte: G1