Gangue formada por menores atua no Tancredo Neves na zona Sudeste de Teresina

Menores abordam moradores na parada de ônibus e praticam assaltos. Os moradores denunciam que diariamente pessoas sofrem algum tipo de violência no residencial

Os moradores do Residencial Tancredo Neves, zona Sudeste de Teresina, estão sobressaltados com a quantidade de assaltos registrados no conjunto. Eles acontecem a todo momento e são feitos por pessoas em motos, geralmente menores de idade.

Para evitar o pior, até mesmo os portões de acesso aos blocos estão sendo fechados a cadeado durante todo o dia porque os bandidos estão levando até as lâmpadas. Segundo a população, o policiamento é ineficaz e não atende a demanda da região.

Os moardores denunciam que existe uma gangue atuando na região, conhecida por turma do lambe-lambe. “A maioria é menor de idade, todos armado com faca e arma. Eles ficam revezando nos assaltos. Minha esposa e minha cunhada já foram assaltadas”, denuncia o morador Pedro Henrique.

Os assaltantes costumam levar, principalmente, os smartphones das vítimas das abordagens. “Aqui não tem horário para começar os assaltos não. Mas eles atuam principalmente no final da tarde e início da noite. Todo o dia tem gente comentando que foi assaltado. E eles levam principalmente o celular”, também denuncia o morador Gil Ceará.

Gil Ceará acredita que os assaltantes observam a rotina das pessoas que moram no Residencial. “Eles ficam rodando o bairro durante todo o dia, procurando as vítimas. Eles assaltam de moto, mas também são ousados ao ponto de assaltar de bicicleta também.

Eles são muito imprevisíveis”, diz. A onda de violência tem obrigado toda a população da região a viver encarcerada . As entradas dos apartamentos estão repletas de gradeados, serrilhados com grandes cadeados que tentam, de alguma maneira, evitar os arrombamentos e os temidos assaltos. Enquanto a insegurança é ineficaz, câmaras de segurança e vigilantes também são contratados.

Polícia vai intensificar rondas na região

A reportagem buscou informações junto ao 8º Departamento da Polícia Militar, que é o órgão responsável pela segurança da zona Sudeste de Teresina, o que inclui a população do Residencial Tancredo Neves. Segundo o Major Gilson Leite, que acaba de assumir a direção do DP, a população não está denunciando os assaltos.

"Não foi passado nada relacionado à situação no Tancredo Neves. Como estamos assumindo agora, estamos tomando conhecimento da situação agora. Queremos implementar o policiamento", diz.

E buscando atender a demana, Leite assume o compromisso de aumentar o policiamento da região. "Nós vamos direcionar o policiamento com rondas constantes na região, pois nossa principal meta é atender a demanda da população e diminuir a insegurança com medidas imediates durante todo o final de semana", finaliza.

Parada de ônibus é ponto comum de assaltos

Um dos pontos mais vulneráveis de assalto é a entrada do Residencial Tancredo Neves, onde fica localizada a parada de ônibus. "Trabalho aqui vendendo cachorro-quente e vejo muitos assaltos. São dois rapazes em uma moto, e eles roubam os celulares das pessoas. Eles assaltam na saída da parada de ônibus, na maior cara de pau.

Geralmente assaltam as moças que voltam da faculdade", afirma a comerciante Carmen Viana. As ruas escuras também contribuem para os assaltos constantes. A rota do crime é o caminho de casa, alerta a população."No caminho que as pessoas fazem da parada de ônibus até os condomínios é a rota do assalto. É todo dia", finaliza Carmen.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Lucrécio Arrais