Gangues causam medo no entorno da ponte Estaiada

Gangues causam medo no entorno da ponte Estaiada

A rivalidade estourada tem resultado em mortes e tem provocado graves prejuízos aos moradores

Depois de urbanizado, o bairro Morro da Esperança tem se transformado em lugar de disputas entre grupos rivais, onde a ponte Estaiada tem servido de parâmetro nos confrontos. Trata-se de uma comunidade marcada por uma triste realidade em razão do medo, tensão e mortes.

O clima tem sido de de muita preocupação para os moradores que convivem em uma rotina diária com tiroteios e assassinatos. Nos últimos dias, a polícia tem feito parte do cenário no bairro. Nesta sexta-feira, 14, os policiais tomaram várias ruas na captura de Paulo Sérgio, suspeito do assassinato do ajudante de pedreiro Carlos Douglas, ocorrido nesta quinta-feira, 13. A vítima tentou fugir e foi alvejado com quatro tiros nas costas.

O acusado foi apontado pela população como autor de nove assassinatos. O conflito é maior em duas ruas do Morro da Esperança: Alex Diniz e Rodrigues dos Santos.

Paulo César atua nas proximidades da ponte Estaiada e tem uma rixa com uma turma nas proximidades da Rua Alex Diniz, onde morava a vítima. Segundo a polícia, o problema maior está na quantidade de atentados que estão acontecendo na região, enquanto isso, pessoas inocentes terminam sendo vítimas da criminalidade.


Gangues aterrorizam moradores no entorno da ponte Estaiada

Carlos Douglas foi assassinado com tiros à queima-roupa

As disputas iniciaram entre os grupos rivais por causa de uma mulher. Os membros ficam nos dois lados da ponte Estaiada. A rivalidade estourada tem resultado em mortes e tem provocado graves prejuízos aos moradores do bairro, que às vezes são alvejados por tiros disparados por membros das gangues em motocicletas.

No lugar dominado pela criminalidade, o cidadão tem sido a parte mais fraca da história do bairro.

Fonte: Denison Duarte