Garota assume ter matado o pai a marretadas

Polícia Civil realizou uma reconstituição na manhã desta quarta-feira

Uma adolescente de 17 anos confessou ter matado o pai a marretadas e incendiado o corpo em São José, município localizado na região metropolitana de Florianópolis (SC).

O crime ocorreu em fevereiro, mas somente na terça-feira a Polícia Civil localizou a ossada que seria de Gilberto Vilar de Souza, 52 anos. A jovem assumiu o crime e alegou que seria vítima de constantes agressões por parte do pai. Como não houve flagrante, acabou liberada após prestar depoimento. Além de atingir o pai com uma marreta, ela contou que ateou fogo no corpo antes de enterrá-lo.

A Polícia Civil realizou uma reconstituição na manhã desta quarta-feira e ainda investiga a possibilidade de outra pessoa ter participado do crime. A ossada da vítima foi localizada em meio a um matagal, distante cerca de 1 km dos fundos da casa da adolescente. Como o local é de difícil acesso e a jovem teria que ter arrastado o corpo, os investigadores acreditam que alguém pode tê-la ajudado.

Denúncias anônimas fizeram a polícia chegar até a jovem, que morava com o pai em um sobrado. O irmão da garota, que residia em outra casa, não teria desconfiado do desaparecimento de Gilberto.

Fonte: Terra, www.terra.com.br