Garota de programa recebia R$ 27 mil por mês do executivo da Yoki Marcos Matsunaga

Garota de programa recebia R$ 27 mil por mês do executivo da Yoki Marcos Matsunaga

Além da mesada, amante disse que ganhou um carro do mesmo modelo de Elize.

A justiça negou nesta terça-feira (12) o pedido de revogação da prisão temporária de Elize Matsunaga.

A mulher considerada o pivô das brigas do casal Matsunaga começou a se encontrar com o executivo da Yoki em fevereiro desse ano.

Ela contou à polícia que é garota de programa e que conheceu Marcos Matsunaga pela internet, em um site de acompanhantes. Durante os encontros, que passaram a acontecer duas vezes por semana, ele disse que o casamento com a mulher, Elize Matsunaga, estava em crise.

Com Marcos, a amante conheceu a empresa Yoki e fez algumas viagens. Uma delas, a Montevidéu, no Uruguai. Em um dos últimos encontros, o executivo relatou que considerava Elize louca e que os dois estavam fazendo tratamento com uma psicóloga.

A amante passou a receber uma mesada de R$ 27 mil por mês e também ganhou um carro do mesmo modelo de Elize. Em troca, tirou as fotos do site de acompanhantes para se dedicar exclusivamente ao executivo.

O passado de Elize como garota de programa fez a família Matsunaga colocar em cheque se a filha do casal é realmente de Marcos. Por isso, será pedido ainda esta semana um teste de paternidade da criança.

?Este conjunto de surpresas aliado ao fato de se apurar tudo, absolutamente tudo que diga respeito a ele e ela também recai sobre a verificação do DNA desta criança, que é tida como filho de ambos?, afirma o advogado da família de Marcos Matsunaga, Luiz Flávio D"urso.

Fonte: G1