Garoto e babá são seqüestrados no Ceará

O garoto e a babá foram colocados no interior da caminhonete Hilux pertencente ao próprio empresário.

Com menos de dois dias depois do fim do seqüestro de um garoto em Fortaleza, a Polícia Civil do Ceará está investigando mais um caso. Um garoto de apenas quatro anos de idade e sua babá foram seqüestrados, na noite de segunda-feira (7), no Município de Morada Nova, Região do Jaguaribe (163Km de Fortaleza).

O arrebatamento dos reféns aconteceu por volta das 20 horas na porta da casa do pai da criança, um comerciante do ramo de motocicletas. A casa dele fica no bairro Alto Tiradentes, na periferia da cidade. Quatro homens, fortemente armados, e usando capuzes, renderam a família que chegava em casa após jantar em um restaurante.

O garoto e a babá foram colocados no interior da caminhonete Hilux pertencente ao próprio empresário. Os reféns foram levados pelo bando que seguiu em fuga pela rodovia estadual CE-138, em direção ao distrito de São João do Aruaru. Mais tarde, o carro foi encontrado, abandonado, na localidade de Sítio Manoel Lopes.

Ainda na madrugada de ontem, a equipe da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) foi deslocada de Fortaleza para Morada Nova. Antes disso, várias patrulhas dos destacamentos da PM de Morada Nova, Jaguaretama, Nova Jaguaribara, São João do Jaguaribe, Tabuleiro e Limoeiro do Norte e as delegacias Regionais de Jaguaribe e Russas, além da Companhia do Policiamento Rodoviário (CPRV) foram mobilizadas para montar um cerco em toda a região. Contudo, até a tarde de ontem não havia pistas concretas sobre o paradeiro dos dois reféns e da quadrilha.

O diretor da DAS, delegado Andrade Júnior, seguiu para o Município e está investigando o caso em sigilo. Já em Fortaleza, o delegado Santos Pastor, também da DAS, informou que, até a noite passada, aquele órgão não poderia confirmar o seqüestro já que, até aquele momento, a família dos "desaparecidos" não havia recebido nenhum tipo de pedido de resgate.

Suspeito

Em Morada Nova, no entanto, a Polícia Civil já levantou suspeitas sobre um seqüestrador que atua na região e que havia sido preso em 2007, mas que, recentemente, ganhou novamente a liberdade. As buscas ao suspeitos estão sendo realizadas desde a manhã de ontem, mobilizando a DAS.

A delegada Vera Lúcia Granja, que está respondendo pela delegacia de Morada Nova, também já apura o caso e está seguindo outra linha de investigação. Há suspeitas de que o bando responsável pelo seqüestro seja o mesmo que, em fevereiro último, praticou um ousado furto na agência do Banco do Brasil da cidade de Quixadá (a 158Km da Capital), através de um túnel. A quadrilha conseguiu furtar cerca de R$ 800 mil da agência, sem disparar um só tiro.

A Polícia não descartou também a hipótese de a quadrilha ter levado os reféns para fora do Estado, como aconteceu em 2006 durante o seqüestro de um empresário na cidade de Limoeiro do Norte. O grupo criminoso seguiu com o refém para o Rio Grande do Norte, através da Chapada do Apodi. O empresário passou o período de 57 dias em cativeiro.

Entre os criminosos que participaram daquele seqüestro está um homem conhecido por "Zé do Paulo Vaqueiro", cujo nome não foi descartado das investigações sobre o crime que está em andamento.

Libertado

Na manhã de domingo passado, a equipe da DAS conseguiu "estourar" o cativeiro onde um garoto de 10 anos era mantido aprisionado desde a última quinta-feira, quando foi vítima de um seqüestro na porta da escola, no Bairro de Fátima.

No trabalho conjunto com o Serviço de Inteligência do Comando da PM, a equipe da DAS chegou ao menino. Dois homens que faziam a guarda do cativeiro, na Praia do Mundaú, em Trairi (Litoral Oeste do Estado), conseguiram fugir.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br