Garoto é preso por roubar pé de defunto

Aos 18 anos, ele seria fascinado por morte e pode pegar até um ano de prisão



Daniel Wayne Staley, de 18 anos, foi preso pela polícia de Dallas, no Texas (EUA), acusado de roubar o pé de um morto do cemitério de Pleasant Grove.

Staley pode ser acusado de violação de cadáver e túmulo, pode acabar passando um ano na prisão por causa disso e pagar multa de R$ 7 mil.

Sua fiança foi afixada em R$ 17,4 mil e, se ele imagina que sua família vai ajudar, é bom tirar seu cavalinho da chuva. Sua mãe é a primeira a dizer que espera que ele não saia da cadeia tão cedo.

- Espero que ele fique preso por um bom tempo. Ele não precisa ser uma pessoa livre. Odeio dizer isso sobre meu próprio filho, mas é verdade.

Para o sargento Bruce McDonald, supervisor da unidade de homicídios de Dallas, Staley tem fixação por morte e, por isso, fez o que fez.

- Ele tem um grande número de questões a serem resolvidas e provavelmente tem problemas mentais. Ele sabia que o que estava fazendo era errado.

A mãe de Staley foi entrevistada pelo jornal local, Dallas Morning News, e pediu a gentileza de não ter seu nome revelado. Segundo ela, o garoto tem uma lista interminável de problemas, que incluem esquizofrenia ? e ele não gosta de tomar os remédios que lhe são receitados.

- Ele está querendo sair porque, assim, ele pode fazer coisa pior. Ele acha isso tudo engraçado. Fico morrendo de medo que ele faça mal para outra pessoa porque ele está chegando perto disso. O que ele fez é horrível. Não acho palavras para isso, mas é muito doentio.

Ele foi preso depois de uma denúncia anônima, dando conta de uma atividade anormal dentro do cemitério, na madrugada da última sexta-feira (30/4). A polícia foi até lá verificar e encontrou Staley que, calmo como quem pede um cigarro, disse que trazia um pé humano em sua mochila e que pegou de um túmulo próximo. Além dos restos do pé, havia uma machadinha na mochila. A polícia acredita que o pé seja de Leibe Vener, morta em 1941.

Os registros criminais provam que a mãe de Staley tem razão para se preocupar. No último dia 15 de março, Staley ameaçou explodir um prédio e matar todo mundo dentro dele ? justificou dizendo que não sabe lidar com autoridades. No dia 1º de abril, ele disse que queria tacar gasolina em sua mãe e, depois, atear fogo ? culpou os remédios contra transtorno bipolar, que ele não havia tomado.

Sua mãe diz que tentou de tudo para ajudá-lo, mas não deu certo.

- Esta foi a primeira vez que ele me ameaçou - pelo menos diretamente. Ele já ameaçou matar o pai dele. Nós já tentamos ajudar de todo o jeito. O problema é que a ajuda é temporária e ele é liberado de novo.Você não pode soltar uma pessoa como ele e esperar que ela tome conta de si. Ele não vai tomar conta dele mesmo. Ele não tem controle sobre sua mente.

Veja em que ponto estamos. Antes era o morto que vinha puxar pé de vivo durante a noite. Hoje, a inversão de valores é total: os vivos é que vão lá, puxar o pé dos mortos. Nenhum descanso é eterno.

Fonte: R7, www.r7.com