Goleiro Bruno não vai receber visita em presídio no período do natal, diz advogado

Goleiro Bruno não vai receber visita em presídio no período do natal, diz advogado

Defensor Francisco Simim acompanhou noiva do jogador em depoimento

O goleiro Bruno Fernandes, preso acusado do desaparecimento e morte da ex-namorada Eliza Samudio, não vai receber visitas no presídio nos dias 24 e 25 de dezembro, de acordo com advogado Francisco Simim. "No natal, o Bruno não vai receber visita da família, assim como no ano passado. Ele não terá nenhuma regalia, não tem permissão da Justiça para receber visitas nos dias 24 e 25 de dezembro", disse. A declaração foi dada na saída do depoimento de Ingrid Oliveira, noiva do goleiro, na manhã desta quinta-feira (22). Ela foi chamada para esclarecer denúncia feita por um detento contra Bruno e outros dois réus no processo.

Segundo a denúncia, Luiz Henrique Ferreira Romão, de apelido Macarrão, o goleiro Bruno e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, teriam um plano para matar a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, que preside o processo; o delegado Edson Moreira, chefe do inquérito; o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Durval Ângelo; o ex-advogado do Bruno Ércio Quaresma; e o advogado José Arteiro, que defende a família de Eliza Samudio.

Ingrid mora no Rio de Janeiro e deve permanercer na capital até esta sexta-feira (23), aniversário de Bruno. Segundo o advogado, no depoimento, ela informou à Polícia Civil, que desconhece o suposto plano e que nunca teve qualquer contato com o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, citado pelo preso denunciante como o reponsável por arquitetar as mortes.

"Ela veio do Rio por causa do depoimento, mas vai ficar pelo menos até amanhã em Belo Horizonte, por causa do aniversário do Bruno. Vou tentar uma visita assistida, que é superior a 15 minutos", disse o advogado.

De acordo com a Polícia Civil, Bola vai prestar depoimento às 14h30 desta quinta-feira (22) no Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp). Nesta semana, o goleiro Bruno e Macarrão já haviam sido convocados para dar esclarecimentos sobre a denúncia feita por um detento.

Fonte: G1