Grande Dirceu tem menos de um policial militar para cada mil habitantes

Segundo Adriano Lucena, major da Polícia Militar, este contingente não é o adequado, mas ele atesta que não só com Polícias Militares se faz segurança pública

A zona Sudeste de Teresina é uma das regiões mais populosas da capital. Com 160 mil habitantes distribuídos em 40 bairros, a região enfrenta sérios problemas com a criminalidade, que é protegida única e exclusivamente pelo policiamento extensivo do 8º Batalhão da Polícia Militar, que conta com um efetivo de cerca de 150 policiais nas ruas.

Em linhas gerais, existe menos de um policial oferecendo segurança para um grupo de mil habitantes da zona Sudeste. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), o ideal é que exista um policial para cada 250 cidadãos.

Segundo Adriano Lucena, major da Polícia Militar, este contingente não é o adequado, mas ele atesta que não só com Polícias Militares se faz segurança pública.

“Claro que não é o número ideal, mas existem muitos outros fatores que contribuem para a criminalidade. No caso do Grande Dirceu e região, o contingente policial é, sim, um dos grandes problemas, mas ele está associado à impunidade e ao tráfico de drogas, que é forte nos bairros”, esclarece.

Lucena garante que é necessário rever outros fatores da crise da segurança pública. “A Polícia Militar faz parte da solução deste problema, mas não somos nós sozinhos que vamos resolver, não somos o único elemento em questão.

Existem outros elementos que contribuem com a criminalidade que também são importantes de serem revistos”, finaliza. Com o déficit, a Polícia Militar tem um trabalho redobrado. “Todos os dias a Polícia Militar está nas ruas 24h por dia e sete dias por semana.

Nós aumentamos o número de horas do policial na rua, e também aumentamos consideravelmente o número de operações. Também aumentamos o número de apreensões de drogas e armas”, declara Lucena.

População cobra segurança pública - Os moradores da região Sudeste de Teresina são unânimes: o policiamento da região é ineficaz. “Aqui você anda à noite pelas ruas com medo.

Quase nunca tem viatura da polícia passando. Normalmente as viaturas ficam nos locais mais movimentados, como a Avenida Joaquim Nelson, mas quase não circulam dentro dos bairros”, afirma Marcus Daniel, morador do Dirceu I.

Fernanda Vasconcelos, moradora do Parque Itararé, diz que nunca viu uma viatura policial passar na sua rua. “É menos de um para mil? Pensei que não tivesse nenhum mesmo, tipo “zero-vírgula-zero” para mil. Aqui na minha rua mesmo, onde moro há 17 anos, nunca vi uma viatura passar. As pessoas dizem que é lenda”, lamenta.

Teresina possui contingente de 2.800 policiais militares

Segundo levantamento da Polícia Militar do Piauí, atuam no Estado cerca de 5.200 policiais militares. Destes, 2.800 estão em Teresina e 2.400 são responsáveis pelo policiamento em todos os outros municípios.

Tendo em vista que, de acordo com o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2014, a capital tem, aproximadamente, 840.600 habitantes.

Neste caso, a estatística fica fora da recomendada pela ONU: são 3 policiais para cada 1.000 teresinenses. Em nível estadual, a situação é ainda mais grave que na capital. O número cai para um policial para cada mil habitantes

 

Fonte: Carolina Durães e Lucrécio Arrais