Grávida morre atropelada por carros que participavam de racha em SP

Grávida morre atropelada por carros que participavam de racha em SP

A irmã da jovem disse que ela não percebeu quando os dois carros saíram de uma esquina em alta velocidade

Uma grávida de quatro meses morreu atropelada na madrugada deste domingo (26) por dois carros que participavam de um racha, na Zona Leste de São Paulo. Os dois motoristas estão presos. Pamela Fernandes de Almeida tinha 21 anos e voltava do Hospital Geral de Guaianazes quando decidiu parar em um telefone público para falar com uma amiga e acabou atropelada.



A irmã da jovem disse que ela não percebeu quando os dois carros saíram de uma esquina em alta velocidade. Pamela foi atropelada e morreu na hora. ?Ela estava ligando para uma amiga dela. O menino me disse que ela ficou uns 40 minutos conversando com a amiga. O carro veio, os dois meninos que viram se esconderam atrás do poste e ela não ouviu o barulho. A amiga disse que só ouviu o baque, no que ouviu caiu o telefone e ela não falou mais nada?, contou Débora Fernandes.

O racha aconteceu por volta das 3h. Um dos motoristas tentou fugir, mas a polícia foi chamada e prendeu os dois rapazes. Eles também não tinham carteira de habilitação. Os dois carros foram levados para a delegacia de Guaianazes. Vizinhos reclamam que os rachas são frequentes na rua.

?A gente tem tentado inibir esse tipo de atitude, dessas pessoas, inclusive motos e veículos, mas, com a chegada da polícia, eles costumam fugir tendo em vista que o local tem muitas rotas de fuga?, diz o soldado da Polícia Militar Márcio Francisco Damascena. Segundo ele, isso acontece, principalmente, no fim de semana e nos feriados.

A irmã de Pamela não se conforma com a tragédia. E quer justiça. ?É triste porque dói, mas a justiça tem que ser feita?, afirma. Os dois motoristas vão responder por homicídio qualificado, racha, dirigir sem carteira de habilitação e tentativa de fuga do local do acidente.

Fonte: g1, www.g1.com.br