Grupo é preso no Ceará por falsificar feijão verde

Com um valor acima dos demais tipos, o grão estava sendo falsificado.

Um grupo acusado de tingir feijão branco para vendê-lo como feijão verde foi preso em Fortaleza. Eles usavam um corante para modificar a coloração do grão. No Ceará, o feijão verde é o preferido e encontrado não só em supermercados, mas nas esquinas do centro de Fortaleza, nos semáforos e nas estradas.

Com um valor acima dos demais tipos, o grão estava sendo falsificado. A equipe composta por três mulheres e um homem vendia o pacote de 1kg a R$ 3,00. Segundo o delegado da Polícia Civil, Romério Almeida, foram apreendidos 432 kg do produto, divididos em sete sacas de 60kg e 12 pacotes de 1kg. De acordo com o delegado, o produto estava sendo vendido há três semanas. A fraude foi descoberta após uma denúncia feita no sábado.

— Uma senhora ao chegar em casa colocou o produto de molho e percebeu que o grão estava descolorindo. Em seguida ela voltou ao centro e chamou dois policiais militares que estavam nas imediações. Na hora eles perceberam a fraude e levaram o grupo e o produto que estava sendo comercializado — relata o delegado.

O grupo responderá por crime de estelionato, e poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão. Segundo o delegado, o mentor intelectual do crime era Luiz Antônio da Silva, 48 anos. O restante do grupo formado por Francinilde de Sousa Brandão, 24 anos, Claudiana Santos Ferreira, 22, e Natália de Jesus Saraiva Silva, 19 anos, recebiam semanalmente R$ 140,00 para vender o produto falsificado.

Todos os integrantes do grupo são naturais do Maranhão, e não tem antecedentes criminais. De acordo com Romério Almeida, todos devem ser encaminhados para o presídio nesta terça-feira.

Juntamente como o feijão falso, foi apreendido o corante. O grão será analisado pela perícia e, caso a substância seja tóxica, o grupo também responderá por lesão corporal.

Os 430 kg de feijão apreendido serão incinerados. Nos supermercados de Fortaleza, o feijão verde custa em média R$ 5,00, enquanto os demais variam de R$ 3,50 a R$ 4,00.

Fonte: O Globo