Helicóptero da FAB cai, mata três tripulantes e deixa outros três feridos no Ceará

Seis militares estavam a bordo na nave e três deles morreram carbonizados

Icapu?. Terminou de forma tr?gica um acidente a?reo ocorrido na tarde de ontem neste Munic?pio do Litoral Leste do Estado (a 202Km de Fortaleza). Um helic?ptero da For?a A?rea Brasileira (FAB), modelo H1H, de prefixo 8532, caiu na localidade de Berimbau, a cerca de um quil?metro da sede municipal e, em seguida, pegou fogo. Seis militares estavam a bordo e tr?s deles morreram carbonizados no que restou da aeronave. Outros tr?s ficaram feridos, dois deles em estado considerado grave.

At? o fim da noite passada, a Pol?cia de Icapu? n?o tinha obtido informa?es sobre a identidade completa dos mortos. Foram divulgados apenas os nomes de ?guerra? dos militares falecidos: Nogueira, Louren?o e Cambeto.

Em nota oficial sobre o fato, colocada em seu site, por volta das 19 horas, a FAB, atrav?s de seu Centro de Comunica??o Social (Cecomsaer), lamentou o acidente, mas n?o divulgou a lista oficial dos tripulantes.

J? os tr?s feridos foram identificados como tenente-aviador F?bio Marinho Freire, 30, que era o piloto do helic?ptero; sargento Andr? Luiz Barbosa, 38; e sargento Ernesto Francisco Barreta J?nior, 38. Todos eram destacados na Base A?rea de Bel?m (PA) e estavam no Nordeste participando da ?Opera??o Cruzeiro do Sul? (Cruzex IV), uma guerra simulada envolvendo as For?as Armadas.

Os tr?s feridos foram atendidos, inicialmente, no Hospital Municipal Maria Idalina R. de Medeiros, em Icapu?. Depois, transferidos em duas ambul?ncias do Samu para a cidade de Aracati. Dali, foram transportados para a Capital em helic?pteros do Centro Integrado de Opera?es A?reas (Ciopaer).

Queimaduras

O primeiro a chegar ao IJF-Centro foi o sargento Ernesto Francisco Barreta J?nior, considerado o ferido mais grave. Seu traslado para Fortaleza foi realizado pelo helic?ptero ?F?nix?, da Ciopaer. A aeronave teve que pousar em plena Pra?a da Bandeira, onde PMs fizeram o isolamento e tr?s ambul?ncias do Samu (entre elas, uma UTI M?vel) aguardavam os feridos. O militar deu entrada na Emerg?ncia com suspeita de trauma na bacia, al?m de apresentar queimaduras qu?micas. Segundo os m?dicos, ele se queixava de dores que n?o cediam a analg?sicos de alta pot?ncia. O segundo ferido mais grave ? o sargento Andr? Luiz Barbosa.

Fonte: Diário do Nordeste