Homem de 41 anos é suspeito de matar 2 filhos a marteladas e asfixia

Em uma carta encontrada na residência, o homem teria alegado que era impedido por sua ex-mulher de ver seus filhos

Um homem de 41 anos é suspeito de matar um casal de filhos a marteladas e asfixia em Bom Retiro do Sul, a 107 km de Porto Alegre. De acordo com a Polícia Civil, as vítimas tinham 4 e 8 anos, e o pai teria cometido suicídio após o crime. Em uma carta encontrada na residência, o homem teria alegado que era impedido por sua ex-mulher de ver seus filhos com a frequência que desejava e sugere que pretendia tirar sua própria vida e levar as crianças com ele.

Segundo o delegado Rodrigo Reis, que investiga o caso, as crianças moravam com a mãe no município de Fazenda Vila Nova e passariam o fim de semana com o pai. No domingo à noite, irritada com a demora na devolução das crianças, a mulher procurou o Conselho Tutelar de Bom Retiro do Sul e acionou a Brigada Militar, para que pudesse buscar o casal. Uma filha mais velha do homem, fruto de um relacionamento anterior, acompanhou os policiais e conselheiros tutelares até a residência de seu pai, onde encontraram os três corpos.

Em um dos quartos estava o pai, enforcado. Em outro cômodo, as crianças estavam deitadas em duas camas de solteiro, cobertas com travesseiros. "A Brigada, quando chegou ao local e viu as crianças, logo foi verificar os sinais vitais, mas as duas estavam geladas, imóveis", relatou o delegado.

Acionada pela Brigada, a Polícia Civil isolou a residência para a realização de perícia. Inicialmente, acreditava-se que as vítimas tivessem sido mortas por asfixia, mas peritos encontraram sinais de traumatismo craniano nos dois filhos. "Acreditava-se que, pela posição em que as crianças foram encontradas (sob os travesseiros), que o homem tivesse as asfixiado. Mas os peritos apontam que as duas crianças tinham traumas na cabeça, a princípio traumatismo craniano. Localizamos um pequeno martelo em um quarto que, segundo os peritos, pode ter sido usado para golpeá-las", afirma Reis. "É possível que ele tenha utilizado aquele pequeno martelo para (fazer as crianças) desmaiar, ou mesmo já com a criança dormindo, ele utilizou o martelo para que talvez elas não acordassem durante a asfixia", completou, ressalvando que o laudo pericial que apontará as causas das mortes ainda não foi concluído.

Segundo o delegado, os dados coletados na perícia e em depoimentos de testemunhas apontam que o crime tenha acontecido ainda no sábado. "O relato de testemunhas corrobora o que apontou a perícia. Ele foi visto pela última vez no sábado vivo à noite, e as crianças, no sábado à tarde. Depois disso, ninguém entrou em contato com eles.", afirmou.

Na residência, os policiais encontraram três cartas de despedida, atribuídas ao pai das crianças, relatando um suposto sofrimento por não poder ficar próximo de seus filhos. "(Em uma das cartas ele) dizia que ia se matar, mas ia levar as crianças junto. Que estava sofrendo porque a mãe não deixava que ele as visse há alguns tempos, e sugere que as crianças estariam sofrendo maus-tratos do novo companheiro da ex-mulher", relata o delegado.

Ainda de acordo com Reis, a mãe das crianças ficou em estado de choque após saber do crime. "Ela teve de ser internada e sedada. Não teve condições de prestar nenhuma declaração", disse o delegado. O companheiro da mulher não foi localizado para prestar depoimento.

Fonte: Terra