Homem desconfia que é traído, mata a mulher e atira no filho

Homem desconfia que é traído, mata a mulher e atira no filho

Ele seguiu a companheira quando ela saiu do trabalho; o comerciante estava descontrolado

Em Itaquaquecetuba, cidade da região metropolitana de São Paulo, um homem matou a mulher, atirou no enteado e tentou matar o próprio filho. Só não conseguiu porque a arma falhou. Ele desconfiava que estava sendo traído pela companheira.

A desconfiança fez o comerciante, de 37 anos, ficar fora de controle, como conta o filho dele.

? Apontava a arma dizendo que ia me matar também. Parecia um sonho.

O jovem, de 18 anos, não quer ser identificado. Ele disse que o pai estava transtornado. O pai seguiu a mulher, de 37 anos, depois que ela saiu do trabalho. Ela era ajudante de cozinha.

? Achou que tinha alguma coisa, mas não viu nada. Ficaram conversando umas três horas na garagem.

Momentos depois, o marido invadiu a cozinha armado e atirou na mulher. Em seguida, atirou no enteado. Mesmo baleado, ele e o irmão lutaram com o comerciante.

? Segurei e disse para bater. Tentar desmaiar ele. Mas estava fraco e disse para ele fugir. Depois corri também.

Logo depois dos tiros, os vizinhos correram em direção à casa da família. O comerciante entrou no quarto e atirou nele mesmo. A arma, com numeração raspada, foi encontrada ao lado do corpo, junto com diversas munições, como conta o vizinho Osvaldo Silva Pinto.

? Eu entrei e ela ainda estava com vida. Ele estava caído ao lado da cama, com as munições espalhadas.

A ajudante de cozinha morreu antes da chegada do socorro. O enteado do comerciante, de 20 anos, foi atingido por dois tiros. Um no rosto e outro no ombro. Ele está internado e não corre risco de morrer. O irmão só não foi baleado porque a arma falhou duas vezes.

? Ele apontou pro meu peito e a bala não saiu, depois apontou pra minha cabeça e também não saiu.

O casal tinha dois filhos, de 17 e 18 anos. A mulher tinha também um filho do primeiro casamento.

Fonte: R7, www.r7.com