Homem é morto "por engano" e três policiais militares são afastados no DF

Os três policiais envolvidos na perseguição vão responder a processo administrativo disciplinar

O trabalhador José Chaves Alves Pereira, 27 anos, foi morto supostamente por engano por policiais na cidade-satélite de Brazilândia, a 30 quilômetros de Brasília, na quinta-feira. Eles confundiram o veículo onde estava Pereira com outro, da mesma marca e cor, de um criminoso envolvido em sequestro relâmpago que vinham perseguindo anteontem à noite. Após o crime, a Polícia Militar do Distrito Federal afastou três policiais que estavam na viatura de onde partiu o tiro, que passou de raspão na cabeça da motorista e atingiu o passageiro ao lado. Ele foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Os três policiais envolvidos na perseguição vão responder a processo administrativo disciplinar, além de inquérito militar, e podem ser punidos com penas que vão de suspensão à expulsão.

A Polícia Civil também abriu inquérito e o autor do disparo deve ser indiciado por homicídio culposo (sem intenção). Segundo o comandante-geral Suamir Santana, os três PMs estão abalados com o incidente trágico e foram encaminhados ao Centro de Assistência Social para receber atendimento psicológico. Atingida de raspão, a motorista do veículo, Karla Pamplona Gonçalves, 22 anos, recebeu curativo e foi liberada. Um terceiro passageiro, Michael de Oliveira, que vinha no banco de trás, nada sofreu.

O policial, cuja identidade foi mantida em sigilo, disse em depoimento que a intenção era atirar no pneu para parar o veículo, mas acionou o gatilho no momento errado. A explicação não convenceu a Delegacia de Polícia de Brazlândia, que mandou a arma para perícia.

Fonte: Terra