Homem é suspeito de estrangular vendedora de loja com cadarço

O corpo da jovem, semi-nu e com marcas de violência, foi encontrado no dia seguinte da morte.

O delegado Alexandre Polito, do setor de Homicídios da delegacia Seccional de Carapicuíba, na Grande São Paulo, disse nesta terça-feira (30) que Edson Bezerra Gouveia, de 35 anos, conhecido como ?Buda? - suspeito de ter matado a supervisora de vendas Vanessa Duarte, de 25 anos, há seis meses ?, admitiu ter usado o cadarço do próprio tênis para estrangular a vítima. Buda foi ouvido em depoimento nesta terça. Ele tentou livrar o cunhado das acusações, mas, para a polícia, os dois mataram a jovem.



?Ele disse que a intenção era roubar ele viu que ela tinha pouca coisa. Ele já estava no local com ela sozinho e ele decidiu violentá-la. Tirou o cadarço do próprio tênis e estrangulou ela. Depois recolocou o cadarço e foi embora e jogou o corpo no mato?, contou Polito.

Buda foi preso na noite de sexta-feira (26) em um sítio em Cristinápolis, no interior de Sergipe, após uma denúncia anônima, na casa onde morava. Ele foi identificado pela tatuagem no braço ? a mesma das fotos divulgadas pela polícia. ?Buda? era considerado um dos criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo. Ele e o cunhado, que já havia sido preso, foram indiciados por estupro e latrocínio.

Vanessa morava em Barueri, na Grande São Paulo. No dia 12 de fevereiro, ela saiu da casa do noivo e não chegou ao local onde encontraria três amigas. O corpo da jovem, semi-nu e com marcas de violência, foi encontrado no dia seguinte em uma mata de Vargem Grande Paulista.

?Buda? já foi preso por roubo, cumpriu pena e estava em liberdade. O cunhado dele, também suspeito de ter participado na morte de Vanessa, foi preso no início da última semana em São Paulo.

Fonte: G1