Homem líder de chacina é condenado a 240 anos

O acusado deverá cumprir pena na penitenciária Nelson Hungria

O acusado de chefiar a Chacina de Neves, onde sete pessoas foram assassinadas em uma festa em 2007 em um sítio em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi condenado a 240 anos de prisão. A pena foi fixada pelo juiz Fabiano Afonso, presidente do Tribunal do Júri de Ribeirão das Neves, na tarde desta terça-feira (24). Ainda cabe recurso da decisão.

Segundo o Ministério Público de Minas Gerais, João Paulo dos Reis Avelino foi o primeiro entre sete réus a ser condenado por sete assassinatos triplamente qualificados e por 19 tentativas de homicídios triplamente qualificadas, além de formação de quadrilha. Ele ainda foi condenado por corrupção de menor, já que um dos envolviodos era adolescente na época do crime. O envolvido que era menor também poderá ser responsabilizado por atos infracionais similares aos crimes, mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais ainda não informou em que situação será a audiência de instrução e julgamento.

crianças, participavam de um churrasco num sítio alugado em Ribeirão das Neves.

Avelino foi apontado pelo Ministério Público como o chefe da gangue da Rua Guapé, situada na Pedreira Prado Lopes, na região noroeste de Belo Horizonte. O acusado estava preso desde a época do crime e deverá cumprir pena na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem.

O crime

Na madrugada do dia 9 de setembro de 2007, oito atiradores de uma gangue ligada ao tráfico de drogas, encapuzados, vestidos com uniforme da Polícia Civil e com toucas ninja, armados com pistolas 9 milímetros e metralhadoras, invadiram um sítio em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mais de cem moradores da Favela Buraco Quente estavam no loca e participavam de um churrasco.

Os integrantes da gangue dispararam mais de cem tiros contra os convidados, que pertenciam a uma gangue rival. Entre os mortos estava uma mulher grávida que morreu na hora, e uma adolescente de 14 anos, que morreu quatro dias depois.

A motivação principal das brigas entre essas gangues era disputa pelo tráfico de droga.

Fonte: g1, www.g1.com.br