Homem oferece "Playstation 3" para enteado acusar padrasto

Supostamente para evitar pagamento de pensão, pai acusa padrasto de violentar seu filho em Manaus.

A Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) investiga o suposto abuso sexual cometido pelo técnico em mecânica FGO, 33, contra o enteado de 12 anos. Entretanto, de acordo com o próprio acusado e a mãe da suposta vítima, uma industriária de 34 anos, a denúncia registrada na delegacia pelo pai do menino ? um comerciante do bairro Galiléia, na Zona Norte de Manaus ?, seria para desviar o foco da família do pagamento da pensão alimentícia dos filhos, que há quatro meses se encontra atrasado.

?Fomos surpreendidos com um telefonema da delegacia, de que tínhamos que comparecer lá, para uma audiência sobre o abuso sexual contra o menino?, relata a mãe, que nesta sexta-feira (4), juntamente com o companheiro estiveram na sede da DEPCA.

Segundo ela, ao questionar o filho sobre o que teria acontecido, o garoto relatou ter sido usado pelo pai, para ir até a delegacia, no mês de novembro para incriminar o técnico em mecânica, sob as promessas de que ganharia um Playstation 3 e um smartphone, além de roupas de marca.

O suposto acusado negou ter cometido o crime e chamou a atenção para o fato de que o enteado não foi submetido a exame de conjunção carnal anal, e nem mesmo passou por acompanhamento psicológico, procedimentos adotados em casos semelhantes.

Audiência no domingo

Eles também destacam o fato de nenhuma notificação ter sido entregue no endereço do casal, e que foram comunicados da audiência realizada nesta sexta-feira, na sede da DEPCA, por meio de um telefonema, na última quarta-feira (2).

Ainda conforme o casal, na delegacia eles foram informados de que a audiência realizada nesta sexta-feira seria a segunda. ?Não recebemos nenhuma intimação policial sobre o caso?, observa a industriária.

Outro fato observado por eles está relacionado à data da próxima audiência, marcada para o domingo (6), pela parte da tarde, durante o plantão.

Por meio de sua assessoria de comunicação a Delegacia Geral informou que a DEPCA funciona 24 horas por dia, inclusive no fim de semana e em feriados, que ?se o plantão da equipe que conduz as investigações cair neste período, as pessoas envolvidas no caso podem ser chamadas para prestar depoimento neste dia?.

Nota

Segundo nota da polícia, o caso em questão foi registrado no dia 05 de dezembro de 2012 na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

?Durante o procedimento na delegacia, o adolescente não conseguiu prestar depoimento e o Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado. Como não se tratava de flagrante, pois o ?suposto? estupro de vulnerável teria acontecido, no mês de novembro foi dado ao solicitante uma via de requisição de exame de conjunção carnal para ser realizado no Instituto Médico Legal (IML), uma via do BO e uma requisição para o atendimento psicossocial. Em seguida, o mesmo foi orientado a retornar à delegacia especializada para dar continuidade à investigação. (...)Durante esse período, tanto pai quanto o filho não compareceram à DEPCA com o resultado e nem para serem ouvidos. Notificações foram expedidas em nome do denunciante (o pai) para que o mesmo retornasse e para a mãe da vítima, mas não como acusada e sim em termo de declaração para ajudar na investigação?, cita trecho da nota.

Fonte: acritica.uol.com.br