Homem que estuprou e matou criança na Rocinha pede perdão aos pais da menina de nove anos

Homem que estuprou e matou criança na Rocinha pede perdão aos pais da menina de nove anos

Homem que estuprou e matou criança na Rocinha pede perdão aos pais

O homem de 22 anos que confessou à polícia do Rio ter estuprado e matado a menina Rebeca Miranda Carvalho dos Santos, de nove anos, na Rocinha, pediu perdão aos pais da criança. Questionado nesta sexta (4) na Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca (zona oeste), sobre o que diria aos pais de Rebeca, ele respondeu: "[Diria] Que me perdoassem. É difícil".

Elder Deywid Marinho, de 22 anos, foi encontrado na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste. Segundo a polícia, Elder confessou o crime e estava com o celular da vítima. A Divisão de Homicídios decidiu pedir à Justiça a prisão do suspeito por 30 dias.

Ele admitiu que também estuprou e matou outra criança, de quatro anos, em Juazeiro do Norte, no Ceará, segundo informou a Polícia Civil. O crime aconteceu há cinco anos, quando o suspeito tinha 17 anos e morava no Nordeste. Ele contou à polícia que, à época, foi apreendido e cumpriu medida socio-educativa, ficando internado por três anos.

Segundo a polícia, ele estava com passagem comprada para voltar para o Ceará. O delegado Henrique Damasceno disse que o rapaz, de boa aparência, apresentou tranquilidade na hora da prisão. Ele morava no Rio desde fevereiro passado em uma casa perto do local onde ocorreu o crime, na Rocinha.

Segundo o delegado, o suspeito contou que, na noite do crime, havia saído para beber. No caminho, ele viu a criança e resolveu atacá-la, como "decisão de momento". Com isso, o suspeito nega que o crime tenha sido premeditado. Henrique Damasceno afirmou que o homem chegou a se dizer arrependido.

Marcas de estupro e estrangulamento

O corpo de Rebeca foi encontrado em um beco na Rocinha na manhã de domingo (29) com marcas de estupro e estrangulamento. Ela havia desaparecido horas antes enquanto brincava em uma festa.

Uma mulher encontrou o chinelo da vítima em uma passagem estreita da comunidade e, a poucos metros dali, viu o corpo de Rebeca atrás de um monte de terra. Ela estava com as roupas íntimas abaixadas.

A polícia constatou que o crime foi planejado, já que Rebeca foi levada para uma área onde nenhum pedestre conseguiria ver o estupro. Uma testemunha contou em depoimento que viu quando um homem negro, com idade entre 20 e 30 anos, abordou Rebeca.

A reportagem da Record, acompanhada por um dos peritos responsáveis pelo caso, refez o caminho traçado pelo suspeito para cometer o crime. Uma escada foi usada pelo assassino para alcançar uma área de difícil acesso, onde a menina foi morta.

Fonte: r7