Homem vestido com roupas de policial faz reféns no Rio de Janeiro

Homem foi contido por policiais do Bope

Um homem armado e vestido com roupas de policial invadiu o prédio de número 70 da Rua Martins Pena, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, na tarde desta sexta-feira (15). Como inicialmente havia a informação de que ele estaria mantendo reféns, a via ficou interditada a partir da Rua Campos Sales, por cerca de duas horas. 

Pelo menos vinte policiais, entre eles atiradores de elite do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram mobilizados foram acionados e cercaram a área. Nem mesmo os moradores foram autorizados a circular pelo local. Segundo testemunhas, um policial civil aposentado, armado com um pistola, abordou um casal que ele julgou estar em "atitude suspeita", obrigando-os a deitar nos chão. Um morador viu a cena e chamou a PM.

Ainda de acordo com testemunhas, o policial, que mora num prédio na esquina da Rua Martins Pena com Rua Marechal Maques Pinto, estava exaltado e também agrediu um funcionário de uma empresa de telefonia.

"Ele estava desde 10h vestido com o colete da polícia civil e armado, barbarizando. Primeiro foi em cima do casal e depois foi para cima do funcionário da Oi, apontando a arma e mandado ele tirar tudo de dentro do veículo. Algum morador viu e chamou a polícia”, contou uma testemunha.

Ao ver a polícia chegando, o homem, que ainda não foi identificado, invadiu o prédio nº 70 da Rua Martins Pena.

A Polícia Militar informou, em nota, que "um homem de 52 anos, portador de uma carteira da Polícia Civil, fez reféns funcionários da empresa de telefonia Oi que trabalhavam num prédio vizinho ao que o próprio reside.”

Armado com uma pistola 9 mm, o homem feriu a coronhadas os reféns e os ameaçava de morte, além de roubar as chaves e o celular de um dos agredidos. Policiais do 4º BPB, com o apoio do BOPE, conseguiram deter o agressor. Alegando passar mal, o homem foi levado e socorrido no Instituto Philippe Pinel (hospital psiquiátrico), onde foi internado. 


Movimentação na rua do prédio (Crédito: O Globo)
Movimentação na rua do prédio (Crédito: O Globo)


Fonte: Com informações do O Globo