Homicida que matou cunhado por causa de sete reais é condenado a 21 anos de prisão em Esperantina

Antonio Preto é casado até hoje com a irmã da vitima, residia atualmente no município de Joaquim Pires.


O homicida Antonio Ribeiro Barros, conhecido popularmente como Antonio Preto, foi condenado 21 anos de reclusão em regime fechado pelo assassinato do seu cunhado, José de Abreu Lima, por causa de uma quantia de apenas R$ 7,00 (sete reais). O crime ocorreu no dia 08 de fevereiro do ano de 2004, no Bairro Colino na cidade de Morro do Chapéu do Piauí.

De acordo com os autos do processo, Antonio Preto assassinou  seu cunhado com um tiro de espingarda bate bucha no momento em José de Abreu estava sentado em sua carroça. O homicida estava escondido por atrás de uma moita esperando a vítima. Logo depois de cometer o assassinato, cumpriu 08 meses de prisão em regime fechado e atualmente cumpre liberdade condicional.

O júri popular, que aconteceu no plenário do Fórum Desembargador Walter Carvalho Miranda, sem a presença do réu, foi presidido pelo Juiz de Direito da Comarca de Esperantina, Dr. Ulysses Gonçalves da Silva Neto. Esteve atuando neste júri como fiscal da lei, o representante do Ministério Público Estadual, o Promotor de Justiça, Dr. Sergio Reis Coelho. Já o advogado barrense, Kelson Dias Feitosa, atuou na defesa do réu.

A sua mãe da vítima, a aposentada Antônia de Abreu Lima de 83 anos de idade, esteve presente e bastante emocionada pedia justiça pela morte do ente querido. Já Osana de Abreu Lima, de 39 anos, irmã da vitima e cunhada do acusado, também pedia que o assassino do seu irmão fosse condenado e que  pagasse pelo crime na cadeia.

Antonio Preto é casado até hoje com a irmã da vitima, residia atualmente no município de Joaquim Pires. O magistrado, Ulysses Gonçalves, no termino do anuncio da sentença, decretou de imediato a prisão preventiva do réu.

 

 

Fonte: Jornalesp