Humorista Zina, do Pânico, é transferido para cadeia após ser preso por porte de arma

Humorista Zina, do Pânico, é transferido para cadeia após ser preso por porte de arma

Quando os policiais chegaram à residência, ele foi buscar a arma e a entregou aos policiais

O comediante Marcos da Silva Herédia, de 28 anos, mais conhecido como o Zina do programa ?Pânico na TV?, da Rede TV!, foi transferido na manhã desta segunda-feira (18) para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo, no ABC. O humorista foi preso em flagrante no início da tarde de sábado (16), após policiais militares localizarem um revólver calibre 38 com a numeração raspada, dentro da casa dele, no Jardim Panamericano, Zona Norte de São Paulo.

Procurada pelo G1 desde sábado, a Rede TV! ainda não comentou o assunto. Os advogados da emissora já foram responsáveis pela defesa do humorista, quando ele foi detido por posse de droga, em 2009.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, Zina ficou preso no 72º Distrito Policial, na Vila Penteado. De acordo com a secretaria, testemunhas disseram que o humorista atirou diversas vezes para o alto em um matagal que fica nas proximidades da casa onde ele mora e chamaram a Polícia Militar. Ao chegarem ao terreno, os policiais encontraram cinco cápsulas deflagradas.

Quando os policiais chegaram à residência, ele foi buscar a arma em um dos cômodos e a entregou aos policiais. Zina foi levado para a delegacia, onde recebeu voz de prisão em flagrante por posse ou porte ilegal de arma de fogo. Segundo a secretaria, o humorista preferiu permanecer em silêncio e se manifestar somente na presença de um juiz. O crime de posse ilegal de arma é inafiançável. A Polícia Civil solicitou exame residuográfico para saber se o comediante efetuou disparos.O revólver e as cápsulas também serão periciados.

Posse de droga

Em menos de quatro meses, esta é a segunda vez que o comediante é detido. No final de outubro de 2009, Zina foi detido por suspeita de porte de droga. Na época, a Polícia Militar informou que o humorista estava com um invólucro de plástico contendo pó branco semelhante a cocaína e que teria resistido à prisão.

O Instituto de Criminalística (IC) confirmou que a substância era cocaína, mas Zina foi solto após assinar um termo circunstanciado, documento usado em ocorrências de menor potencial ofensivo. Ele foi qualificado como usuário de drogas e responderia em liberdade. Na época, os advogados da Rede TV! não falaram com a imprensa.

Fonte: g1, www.g1.com.br