Identificados nove corpos de vítimas de acidente de avião

O trabalho de identificação dos corpos é feito por meio da análise da arcada dentária

Mais cinco vítimas do acidente de avião em Trancoso (BA) foram identificadas na noite deste domingo (24), segundo informações do Departamento de Polícia Técnica. No total, das 14 pessoas que estavam na aeronave, que caiu na sexta-feira (22) à noite, 9 já foram identificadas.

O trabalho de identificação dos corpos é feito por meio da análise da arcada dentária e por exame de DNA. Mesmo com a confirmação de um dos métodos, o outro também é aplicado para que não haja nenhuma falha no reconhecimento.

Ainda precisa ser confirmado o perfil genético do co-piloto, da mulher do dono da aeronave, da neta dela, da babá de uma das crianças e de uma amiga da família. O Departamento de Polícia Técnica já sabe quem é quem, mas aguarda o envio de material genético de parentes, que pode ser colhido pela saliva ou sangue.

A expectativa é que nos próximos dias haja a confirmação da identificação de todas as pessoas que estavam no avião.

Ocupantes do voo

Eram dez adultos e quatro crianças, entre elas um bebê de seis meses. Veja abaixo a lista:

1) Roger Wright

proprietário da empresa Arsenal Investimentos e ex-diretor do Banco Garantia

2) Lucila Lins

esposa de Roger

3) Verônica Wright Faro

filha de Roger

4) Rodrigo de Mello Faro

marido de Verônica

5) Victoria Wright Faro

filha de Verônica e Rodrigo (criança)

6) Gabriel Wright Faro

filho de Verônica e Rodrigo (criança)

7) Felipe Wright

filho de Roger

8) Heloísa Alqueres Wright

esposa de Felipe e filha do presidente da Light

9) Francisco Alqueres Wright

filho de Felipe e Heloísa (bebê de seis meses)

10) Rosângela Pereira Barbosa

babá do Francisco

11) Nina Pinheiro

neta da Lucila (criança)

12) Vera Lúcia Mércio

tia-avó de Roger

13) Jorge Lang Filho

piloto

14) Nelson Caminha Affonseca

co-piloto

O acidente ocorreu na noite de sexta-feira (22). A aeronave partiu de São Paulo com destino a Trancoso, e explodiu ao cair a 200 metros de uma das laterais da pista de pouso de um resort.

Investigação

A caixa-preta do avião será levada ainda neste domingo para o Recife. As gravações feitas pelo equipamento podem ajudar a determinar o que provocou a queda da aeronave. Segundo a Aeronáutica, a caixa-preta da aeronave também pode ser encaminhada para análise no exterior.

Os motores serão analisados em São José dos Campos (SP), um dos maiores pólos da indústria de aviação no Brasil.

Antes do acidente, o piloto chegou a entrar em contato com a torre de comando pedindo autorização de pouso. A falha na iluminação era uma das hipóteses apontadas para o acidente, mas a Aeronáutica descartou que esse tenha sido o motivo.

A aeronave pertencia ao empresário Roger Wright, que tinha viajado à Bahia com a família. O plano de vôo, segundo a Aeronáutica, dizia que 11 pessoas estavam a bordo, mas 14 vítimas ? dez adultos e quatro crianças ? foram encontradas.

A primeira mulher de Roger Wright morreu no acidente com o Fokker 100 da Tam, no ano de 1996. Barbara Cecilia Luchsinger Wright estava entre os passageiros do voo 402, que caiu minutos após a decolagem no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

O piloto da aeronave era Jorge Lang Filho, de 56 anos, considerado muito experiente pelos colegas. O filho dele ajudará nas investigações. De acordo com a Aeronáutica, a aeronave havia acabado de passar pela inspeção anual de manutenção.

Fonte: g1, www.g1.com.br