Indiciados acusados de torturar jornalista

Dois guardas municipais e um terceiro homem foram indiciados como responsáveis pelo delito.

Três pessoas foram indiciadas no inquérito que investiga o sequestro seguido de crime de tortura praticados em Juazeiro do Norte contra o jornalista e editor Gilvan Luiz, do ´Jornal Sem Nome´. Dois guardas municipais e um terceiro homem foram indiciados como responsáveis pelo delito.

Segundo o delegado-regional de Polícia Civil de Juazeiro do Norte, Levi Leal, os guardas municipais Cícero Fecundo Sampaio e Resilânio Argeu dos Santos foram indiciados no inquérito assim como Ademilton Alves Vieira, dono do veículo Corolla que foi utilizado nos crimes. A Polícia chegou aos acusados ao descobrir que, na fuga, um dos guardas municipais deixou cair seu telefone celular dentro do carro.

Prosseguir

A Polícia não revelou ainda o nome do mandante dos crimes e vai prosseguir nas investigações sobre o caso. O jornalista vinha tecendo severas críticas à administração do prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel Santana, e, por conta, teria sofrido ameaças de morte. Na noite do último dia 20 de maio, Gilvan acabou sendo sequestrado e torturado por homens encapuzados.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br