Irmã de universitária chora e diz que motoboy abusava de seu próprio filho

O motoboy confessou ter asfixiado Bianca em setembro de 2011

A irmã da universitária Bianca Consoli, Daiana Ribeiro Consoli, afirmou nesta segunda-feira que seu ex-marido, o réu Sandro Dota, abusava sexualmente de seu filho quando eles ainda eram casados. O motoboy confessou ter asfixiado Bianca em setembro de 2011 e a acusação tenta provar que, antes de ser morta, a vítima sofreu abuso sexual do cunhado. Dota está sendo julgado no Fórum Criminal da Barra Funda desde a manhã de hoje.

?Meu filho fala que ele entrou no quarto, à noite, e colocou a mão no bumbum dele. Isso criou uma revolta grande no meu filho. Ele (Sandro Dota) sempre entrava no banheiro quando meus filhos tomavam banho. Entrava no quarto para passar a mão neles?, disse Daiana, chorando.

A ex-mulher de Sandro Dota afirmou ainda que na semana em que ele foi preso, enquanto assistia a uma reportagem sobre a morte de Bianca na televisão, o motoboy disse que, se fosse preso, era capaz de cometer suicídio na cadeia.

?Alguns dias antes de ele ser preso, ele estava muito nervoso. Disse que se fosse preso inocente daria um tiro na própria cabeça. E eu presumi que ele poderia dar um tiro em mim e nos meus filhos. Disse que, ou daria um tiro na cabeça quando estivesse na cadeia, ou quando saísse da cadeia, mataria um por um. Ele quase me enlouqueceu?, afirmou.

Questionada pelos advogados de defesa sobre a confissão de Dota, a ex-mulher do réu afirmou que o fato não ?confortou? a família. Para ela, a situação apenas piorou a situação.

?Eu sabia que ele era o culpado, mas ouvir da boca dele é mais difícil. Eu que vivia com ele. O que me surpreendeu foi o tanto de mentira. Não confortou porque nada vai trazer minha irmã de volta. Só acrescentou mais dor, e quem sofreu mais foi a minha irmã. Para mim, ele matou e estuprou minha irmã?, disse Daiana.

A irmã da vítima contou ainda que Sandro era bastante agressivo dentro de casa e que o casal tinha uma relação bastante conturbada por conta das atitudes de Sandro. ?Ele não gostava de ser contrariado. Por várias vezes, motivos banais de casal, ele arrumava motivo pra arrumar mala e ir embora, mas só ameaçava. Pensei em me separar dele por várias vezes, mas essa palavra era motivo para ele derrubar a casa?, disse.

O assassinato

A universitária Bianca Consoli, 19 anos, foi encontrada morta no dia 13 de março de 2011 no bairro de Parque São Rafael, zona leste da capital paulista. O cunhado dela, o motoboy Sandro Dota, foi preso após um exame de DNA revelar que o material genético encontrado sob as unhas da vítima era compatível com o encontrado na calça do suspeito, usada no dia do crime.

Em agosto passado, por meio de uma carta, escrita no presídio de Tremembé (interior de São Paulo), local em que aguarda o julgamento, Dota confessou ter matado a cunhada, mas nega as acusações de estupro contra a jovem.

Fonte: Terra