Jogador Bernardo, do Vasco, rodou de carro uma hora com arma apontada na cabeça, diz revista

Jogador Bernardo, do Vasco, rodou de carro uma hora com arma apontada na cabeça, diz revista

À polícia, meia negou tese de que foi torturado, mas, mesmo sem grave agressão

O advogado de Bernardo, Elvis Paes, foi o porta-voz do jogador do Vasco na tarde da última segunda-feira e afirmou que seu cliente negou, em depoimento à polícia, que foi agredido pelo chefe do tráfico do Complexo da Maré, Menor P, no episódio na favela, no dia 21. No entanto, segundo publicação da Revista Veja, o meia admitiu a tortura psicológica, a ponto de ter rodado de carro por uma hora com uma arma apontada na cabeça, até chegar ao topo do morro. Além disso, teria confirmado que foi obrigado a ficar nu enquanto era humilhado.

A versão contada foi a mesma que a diretoria cruz-maltina e a ex-mulher, Laila Fonseca, com quem tem três filhos, ouviram. As partes foram acalmadas quanto aos danos físicos.

O caso está sendo investigado pela 21ª DP, do bairro de Bonsucesso, e as informações preliminares davam conta de que por pouco Bernardo não foi assassinado pelos bandidos, depois do espancamento, choque elétrico e de ter sido amarrado com fita crepe. O motivo foi um suposto envolvimento amoroso com Dayana Rodrigues, uma das mulheres do traficante, que acabou levando sete tiros nas pernas (dois deles de raspão) e passou por duas cirurgias posteriormente. Ambos teriam sido vistos juntos em um baile funk na Favela Salsa e Merengue.

Bernardo contrariou a versão da polícia e disse que não sofreu qualquer agressão. Inclusive, postou uma foto com um amigo já em São Paulo, para onde foi para ficar com a família por alguns dias.

- Estou bem e saudável. Não fizeram mal nenhum comigo. Não sofri nenhum tipo de agressão. Estou à disposição da polícia para o que ela precisar ao longo dessa investigação - disse.

Além de Bernardo, o delegado José Pedro Costa também intimou Wellington Silva, criado na Maré e apontado como o "salvador" de Bernardo, e a irmã de Dayana Rodrigues para depor.

No fim de 2011, o Vasco comprou 50% dos direitos econômicos de Bernardo pagando ao Cruzeiro 1,5 milhão de euros (quase R$ 4 milhões no câmbio atual). Ele tem contrato até 31 de dezembro de 2015. Foi emprestado ao Santos em 2012 e tentava dar a volta por cima.

Por conta da cirurgia no joelho esquerdo na quarta-feira, a previsão inicial é que Bernardo fique fora de campo por seis meses e só volte ao dia a dia do Vasco, para realizar a fisioterapia intensiva, entre o fim de julho e agosto. Depois de oito dias de folga, o elenco vascaíno se reapresentou na manhã de segunda-feira, em São Januário, sem o pivô da polêmica.

Fonte: Globo.com