Jogador é preso com cocaína na bagagem no Ceará

Ele tentou embarcar com cocaína no Aeroporto Internacional

O jogador de futebol amador cearense Luís Eduardo Amaral Medeiros, 23, foi a primeira pessoa flagrada, este ano, pela Polícia Federal tentando embarcar com cocaína no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Eduardo foi preso pelos agentes da PF, na noite da última quinta-feira (8), com cerca de três quilos de cocaína escondidos na lateral da sua mala de roupas.

Segundo a Polícia, os agentes desconfiaram da atitude do rapaz e passaram a conversar com ele. Tentando embarcar para Lisboa, ele disse aos agentes que estaria indo visitar sua namorada. Ao ser perguntado pelo nome da namorada, o acusado demorou a responder.

Nesse momento, os policiais acreditaram que ele estivesse com a droga escondida no corpo, mas ao passar a mala dele no aparelho de raio X, a cocaína foi descoberta.

Internet

De acordo com o delegado Glayston Araújo, titular da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), Eduardo confessou que havia sido contratado por um português para levar a ?coca? para Lisboa. O acusado disse ainda em depoimento, que o contato teria sido feito pela Internet.

Ele entregaria a cocaína na capital portuguesa a uma pessoa na estação de táxi do aeroporto. Pelo serviço, o acusado disse que receberia cerca de quatro mil Euros, aproximadamente R$ 13 mil. Ele foi autuado por tráfico internacional de drogas, cuja pena varia de cinco a 15 anos de reclusão.

No ano passado, o Ceará foi o terceiro Estado brasileiro em número de apreensões de drogas em aeroportos, perdendo apenas para São Paulo e para o Rio de Janeiro. Foram 202 quilos de cocaína apreendidos com ´mulas´ no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

PROTANOGISTA

´Mula´ ia levar a droga para a capital portuguesa

Luís Eduardo Medeiros

Ao prestar depoimento na PF, o jogador de futebol amador, Luís Eduardo Amaral Medeiros, 23, disse que havia sido contratado, através da internet, para atuar como ´mula´. Para levar a cocaína até Portugal iria receber cerca de R$ 13 mil. Mas, acabou sendo descoberto no embarque.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br