Jogador que matou vizinha coloca culpa em cocaína

“Não foi ato pensado, foi impulso. Não tenho nem noção do que eu fiz", disse ele.

O jogador de futebol Gianluca Girolamo dos Santos, 21 anos, acusado de matar uma vizinha a facadas no Guarujá, litoral de São Paulo, não se responsabilizou pelo crime, ocorrido na terça-feira. De acordo com o atleta do Navegantes Esporte Clube, clube que disputa a 3ª Divisão em Santa Catarina, a ?culpada? pelo crime foi a cocaína, droga que ele consumiu antes de ir até o apartamento da corretora de imóveis Iara Maria Matana, 56 anos, e esfaqueá-la até a morte.

?Não foi ato pensado, foi impulso. Não tenho nem noção do que eu fiz. Primeiramente, eu quero que a família deles me perdoe, de coração, estou arrependido por ter estragado o meu futuro também. Não fui eu, foi a cocaína?, disse o acusado, em depoimento ao delegado titular da delegacia do Guarujá, Cláudio Rossi, nesta quarta.

O crime aconteceu por volta das 20h de terça-feira, segundo a polícia. Gianluca alegou que tinha desentendimentos com a vizinha porque ela reclamou de um barulho no apartamento dele. Conforme a investigação, o jogador esperou a vítima chegar em casa, a abordou na porta do apartamento e a atingiu com cinco facadas. Depois, ele untou o corpo da mulher com óleo de cozinha e ketchup. Um exame será feito para comprovar se houve violência sexual, mas em princípio, a polícia descarta essa possibilidade.

O corpo foi encontrado pelo porteiro do prédio, que desconfiou da ausência da mulher. Ao subir até o apartamento, encontrou a porta aberta e o corpo em cima do sofá e chamou a polícia. Durante a investigação, os policiais foram informados das discussões dos vizinhos e chegaram até Gianluca. O jogador, que foi levado para a delegacia, negou o fato, mas acabou confessando o crime.

Fonte: Terra