Jornal Nacional repercute tragédia em Cocal e mostra rompimento da Barragem Algodões

A imagem registrada pelo celular de um agricultor mostra o momento em que parte da parede da represa cedeu

A enxurrada provocada pelo rompimento da barragem de Algodões, no Piauí, na tarde de quarta, arrasou a zona rural de dois municípios da região norte do estado. A reportagem é de Amorim Neto e Magno Bonfim.

A imagem registrada pelo celular de um agricultor mostra o momento em que parte da parede da represa cedeu. Em menos de uma hora, quase 50 bilhões de litros d"água desapareceram do reservatório.

A água passou com tanta força, que limpou todo o vale. Arrastou árvores, torres de energia elétrica e casas. Os moradores conseguiram fugir quando escutaram o estrondo da parede desabando.

O agricultor José Maria Siqueira viu quando tudo aconteceu. "Um estrondo muito forte. Nós estávamos de frente para a barragem. Faltando mais ou menos um quilômetro para chegar na barragem, quando ela rompeu. Um torno de água para cima, de 50 metros e desceu levando tudo".

A barragem Algodões foi construída entre duas serras. Há 15 dias, ela encheu tanto que transbordou pela primeira vez, como o Jornal Nacional mostrou.

A água provocou uma erosão de um quilômetro entre o sangradouro e a parede da represa. Os engenheiros esperaram o nível da água baixar para começar uma obra de contenção.

Mais de 800 famílias que viviam nas redondezas foram retiradas às presas e levadas para abrigos, mas os agricultores afirmam que foram autorizados a voltar.

"O engenheiro autorizou que era para o povo voltar. O povo estava na cidade e voltou uma parte grande de gente", disse o agricultor Carlos Alberto Machado.

Mas a barragem não resistiu a dois dias de chuva forte na cabeceira do Rio Pirangi, entre o Piauí e o Ceará, e se rompeu. A enxurrada inundou uma extensão de mais de cem quilômetros nos municípios de Cocal e Buriti dos Lopes.

Equipes da Defesa Civil do estado e do Corpo de Bombeiros trabalham sem parar, na tentativa de localizar moradores desaparecidos. Muitas pessoas só puderam ser resgatadas de helicóptero, com a água pela cintura.

?Nós tivemos que retirar cerca de dez mil pessoas de ontem, por voltas das 14h, até o dia de hoje. Percorri toda a região e se eu pudesse usar uma figura de linguagem que o mundo conhece, eu diria que foi um tsunami com destruição total, especialmente nas proximidades da barragem", declarou Wellington Dias (PT), governador do Piauí.

William Bonner e Fátima Bernardes conversaram com o repórter Amorim Neto, ao vivo de Teresina. Segundo ele, até a noite desta quinta, foram confirmadas quatro mortes e 11 pessoas estão desaparecidas, mas esse número pode ser maior.

Fonte: Globo, www.globo.com