Jovem de 16 anos é assassinada a facadas; madrasta é suspeita

Jovem de 16 anos é assassinada a facadas; madrasta é suspeita

Tia da adolescente veio até o IML de Santos para levar o corpo. Família não entende o que aconteceu e quer justiça

O corpo da adolescente Jaciene, de 16 anos, morta no último sábado (15) em São Vicente, no litoral de São Paulo, foi levado pela família na madrugada desta segunda-feira (17) para Uberlândia, em Minas Gerais. A madrasta da jovem é a principal suspeita de cometer o crime e está presa.

A tia da adolescente, Elizabeth da Silva, veio até o IML de Santos para buscar o corpo da vítima. A família, que mora em Minas Gerais, está inconformada com o que aconteceu e quer justiça. "Eu só sei que eu quero justiça. Quem fez isso com a minha sobrinha? Tem que ter justiça para isso, a pessoa tem que pagar. A gente está sem saber o que aconteceu. A gente tem que correr atrás e a investigação vai descobrir o que realmente aconteceu", diz a tia.



A menina veio para São Vicente, a pedido da madrasta, para ajudar a cuidar dos dois irmãos. De acordo com informações de amigos da jovem, o pai de Jaciene está preso há seis meses. Ainda segundo amigos, a adolescente viria somente para um aniversário, mas ficou na cidade e largou o emprego e a escola em Uberlândia. Depois da separação dos pais, a menina foi morar com os avós maternos na cidade mineira.

Nesta segunda-feira (17), será apresentado à polícia o laudo do IML sobre os ferimentos sofridos pela jovem. As informações podem confirmar se a madrasta tem relação com o assassinato. O crime aconteceu na manhã de sábado na casa da vítima. Segundo a madrasta, assaltantes invadiram a casa e mataram a jovem, mas a polícia não acredita nessa versão. ?Não há indícios de que seja um roubo porque a maneira que ela foi brutalizada indica vingança, um estado emocional muito alterado. Ela levou várias facadas, fio de ferro amarrado no pescoço. A situação em que o corpo foi encontrado denota que houve um estado emocional muito alterado de quem cometeu o crime?, diz o delegado Juvenal Marques Ferreira Filho.

De acordo com a polícia, ela é a principal suspeita e está presa na cadeia feminina, anexa ao 2º DP de São Vicente. A perícia apreendeu a faca usada no crime, que já havia sido lavada, e também roupas sujas de sangue guardadas no armário da casa.

Fonte: G1