Jovem estuprada por funcionários de parque foi morta por asfixia no PR

Familiares contaram que ela saiu de casa para visitar uma amiga.



A adolescente Tayná da Silva, de 14 anos, estuprada e morta por funcionários de um parque de diversão em Colombo, região metropolitana de Curitiba (PR), foi assassinada por asfixia, de acordo com o laudo cadavérico. O laudo também apontou estupro.

A Polícia Civil já concluiu as investigações sobre o caso e informou que outras pessoas, além dos quatro presos que confessaram o crime, não teriam participado do homicídio. Eles contaram que mantiveram relação com a adolescente já morta e que somente um deles não cometeu o abuso. Eles vestiram o cadáver e jogaram em um poço.

Segundo a polícia, a garota desapareceu na terça-feira (25). Familiares contaram que ela saiu de casa para visitar uma amiga. Ela foi até a casa da colega e quando saiu mandou uma mensagem por celular para a mãe avisando que estava voltando. Depois disso, não foi mais vista.

Os suspeitos foram presos na noite de quinta-feira (27) depois que testemunhas relataram que viram Tayná passando em frente ao parque. Eles confessaram que a estupraram e enterram o corpo no terreno do parque. O cadáver foi achado em um poço de um matagal que fica de frente com o estabelecimento.

A mãe da adolescente disse que o corpo da filha não estava inchado e como foi achado dentro da água deveria estar diferente por ter ficado no mínimo dois dias dentro do poço. Ela disse acreditar que eles tenham sequestrado a garota e mantido relações por mais de um dia.

Revoltados, moradores destruíram o parque. Eles queimaram todos os brinquedos e um caminhão que estava estacionado. A direção não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: F5