Jovem morta em voo gravou vídeo na Disney

As imagens obtidas com exclusividade pela Rede Globo mostram a menina feliz, sorrindo e enviando beijos para parentes e amigos

A estudante Jacqueline Ruas, de 15 anos, morta durante o voo entre o Panamá e Guarulhos, na Grande São Paulo, gravou um vídeo durante sua estada na Disney World, em Orlando, nos Estados Unidos.

As imagens obtidas com exclusividade pela Rede Globo mostram a menina feliz, sorrindo e enviando beijos para parentes e amigos.

Ela morreu na madrugada de domingo (2), quando retornava do passeio, e enterrada nesta segunda-feira (3), em São Caetano do Sul, no ABC. Na sexta-feira (30), ela foi atendida no Hospital Celebration, em Orlando, nos Estados Unidos.

Procurado, o centro médico informou que irá divulgar informações sobre o atendimento a estudante apenas para seus parentes e para a Polícia Federal.

Com base em uma lei federal dos Estados Unidos, que proíbe a divulgação de relatórios médicos de pacientes, o hospital negou à reportagem do Jornal Hoje detalhar o período em que a adolescente foi atendida.

Acionada nesta segunda, a Polícia Federal afirmou que aguarda resultado dos laudos do Instituto Médico Legal para decidir se abrirá um inquérito para investigar a morte.

Enquanto isso, a Polícia Civil de São Paulo registrou o caso como morte suspeita. O delegado do Distrito Policial localizado no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, ouviu funcionários da Tia Augusta, empresa de turismo responsável pela excursão, e pediu os exames médicos que ela fez nos Estados Unidos.

Os pais também deverão ser ouvidos. A polícia quer saber se a garota tinha alguma doença.

Voo

Durante o voo, colegas de excursão chamaram a jovem, que não respondeu. Além do silêncio, o aspecto pálido que sua pele adquiriu chamou a atenção também da tripulação, que pediu auxílio para médicos que estivessem no avião.

Ao se voluntariar, o cirurgião Irineu Raseira Jr., 41 anos, foi socorrer a jovem. ?Ela já estava em parada cardiorrespiratória?, contou. Com auxílio de outro médico que estava a bordo, o oftalmologista Aníbal Fenelon, 58 anos, tentou reanimar a jovem.

Assustados com a movimentação, os outros passageiros foram acalmados pela tripulação. ?Levamos a garota ao fundo do avião, onde preparam os alimentos, e tentamos novamente reanimá-la?, afirmou Fenelon. Em vão. ?Às 5h05, constatamos que ela estava sem pulsação, com as pupilas dilatadas e fria?, acrescentou.

Fonte: g1, www.g1.com.br