Jovem morta sentia que estava sendo seguida, diz mãe da vítima

Jovem morta sentia que estava sendo seguida, diz mãe da vítima

A universitária foi abordada, já na rua de casa, por um desconhecido.

A mãe da universitária Maria Andreia Soares da Silva, encontrada morta no último domingo (7) em Ferraz de Vasconcelos, afirmou que uma colega de sua filha contou que a jovem sentia que estava sendo seguida na rua de casa. Nadir Soares contou ainda que Maria Andreia era muito tranquila.

Ela estava desaparecida desde o início da madrugada do mesmo dia, quando voltava de um jantar com as amigas. O corpo foi encontrado vestido, com marcas no pescoço e punhos.

A universitária foi abordada, já na rua de casa, por um desconhecido. Imagens de segurança de uma câmera de outra casa na rua mostram, 00h34, a menina sendo seguida e abordada. Os dois começam a conversar e voltam a andar. Depois disso, a menina não foi mais vista viva.

A polícia ouviu de colegas da faculdade de Maria Andreia que haveria um homem supostamente "apaixonado" por ela. De acordo com informações do Cidade Alerta, ele será identificado e então, ouvido.

Questionada sobre o homem, a mãe da vítima, Nadir Soares, disse que a filha teria falado sobre um colega da faculdade, mais velho, que estaria interessado nela, mas que ela não tinha interesse.


Jovem morta sentia que estava sendo seguida, diz mãe da vítima

O pai da vítima, que registrou boletim de ocorrência às 7h do último sábado (6), foi avisado por uma vizinha que o corpo de uma jovem havia sido encontrado na região. Os irmãos de Maria Andreia foram até o local e reconheceram o corpo.

Ainda de acordo com a secretaria, como o celular e a bolsa da jovem não estavam com ela, o caso foi registrado como latrocínio na delegacia de Ferraz de Vasconcelos. A bolsa foi encontrada depois, próximo ao local do crime.

Fonte: r7