Jovem perde parte do couro cabeludo em acidente no Beto Carrero (SC)

O inquérito será iniciado a partir do depoimento das primeiras testemunhas

A Delegacia de Polícia Civil em Penha (121 km de Florianópolis) deve começar nas próximas horas a ouvir as testemunhas do inquérito instaurado para apurar as responsabilidades do acidente que levou a jovem Fernanda Dryer, 22 anos, a perder parte do couro cabeludo enquanto se divertia em um brinquedo do parque Beto Carrero.

O inquérito será iniciado a partir do depoimento das primeiras testemunhas. O delegado que cuida do caso é Rodolfo Farah, que também cuida da delegacia de Piçarras, informou o cartório da unidade policial em Penha, que deve receber em até 30 dias o resultado do exame de perícia técnica.

De acordo com boletim médico divulgado à imprensa pelo hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, onde a jovem permanece internada na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), o estado dela é estável, apesar de o movimento das pálpebras ter ficado comprometido.

Parentes da gaúcha da cidade de Tenente Portela informaram que ela chegou a sorrir e trocar algumas palavras na manhã desta segunda-feira (4). O acidente aconteceu por volta de 10h30 do último sábado (1º). O cabelo de Fernanda ficou preso no kart em que ela andava e acabou a vítima acabou escalpelada.

Cabelo preso

Ela chegou a Penha exclusivamente para visitar o parque com um grupo de amigos de Florianópolis. A assessoria de imprensa do Beto Carrero tem divulgado que o kart de dentro (indoor) do parque foi interditado e que toda a assistência tem sido prestada à vítima. A assessoria declarou que só pretende dar mais explicações após a conclusão dos laudos técnicos da Polícia e dos Bombeiros.

Peritos da Polícia Civil estiveram no kart logo após o acidente para vistoriar os carrinhos. O Beto Carrero World informou que antes de iniciar a brincadeira, os visitantes passam por uma sala onde recebem instruções de segurança e são orientados a prenderem os cabelos. O parque não soube informar se Fernanda teria seguido a recomendação ou se usava debaixo do capacete uma máscara que prende os cabelos.

Fonte: UOL